Quando todo olho verá a vinda do Filho do Homem.

Apocalipse 1: 7
 “Eis que vem com as nuvens, e todo olho o verá, até os mesmos que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim! Amém!”

Jesus é retratado por João, em Apocalipse, como o Rei Todo-poderoso, vitorioso na guerra e glorioso na paz. Ele não é apenas um humilde mestre terreno; Ele é o glorioso Deus. Ao ler a descrição das visões de João, tenhamos em mente que suas palavras são mais que um simples conselho: elas representam a verdade que procede do Rei dos reis. Não devemos ler sua mensagem apenas pelo seu interessante e admirável retrato do futuro. Deixemos que a verdade de Cristo penetre em nossa vida, aprofunde a fé que nós temos nEle e fortaleça nosso compromisso de segui-Lo, custe o que custar.

João está anunciando a volta de Jesus à terra. A segunda fase da segunda vinda de Jesus será visível e vitoriosa. Todas as pessoas verão a sua chegada – “E, então, verão vir o Filho do Homem nas nuvens, com grande poder e glória” – e saberão que Ele é Jesus. Quando Ele vier, derrotará o mal e julgará todas as pessoas de acordo com os seus atos. A frase “até mesmo os que o transpassaram” pode estar se referindo aos soldados romanos que transpassaram o lado de Jesus quando Ele estava pendurado na cruz, ou aos judeus que foram responsáveis por sua morte. João testemunhou a morte de Jesus e nunca pôde esquecer todo aquele horror – “E aquele que o viu testificou, e o seu testemunho é verdadeiro, e sabe que é verdade o que diz, para que também vós o creiais”.

As típicas notícias que recebemos das reportagens que veiculam pelos meios de comunicação — cheios de violência, escândalos e disputas políticas — são deprimentes e até nos levam a imaginar para onde o mundo está caminhando. O plano de Deus para o futuro, entretanto, nos traz inspiração e encorajamento porque sabemos de antemão que Ele intervirá na História para derrotar o mal. A mensagem que o livro de Apocalipse transmite, é uma intimação às igrejas a lerem esse livro em voz alta, a fim de que todos possam ouvir suas palavras e aplicá-las, e estarem certos de que Deus triunfará.

Daniel havia profetizado sobre este acontecimento – “Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha nas nuvens do céu um como o filho do homem; e dirigiu-se ao ancião de dias, e o fizeram chegar até ele”, porém, o que faz distinção entre as teofanias ocorridas no Antigo Testamento e a visão de João, é que Deus muitas vezes se manifestou na Antiga Aliança como uma luz poderosa e ardente, chamada de shekiná ou nuvem de glória. Ninguém podia vê-la plenamente e permanecer vivo, por isso tinha que ser velada. Mas quando Cristo retornar, a glória será totalmente visível.

O lamento do restante dos habitantes da terra não é o mesmo que acompanha o arrependimento genuíno, mas o resultado da culpa pelo pecado e do medo da punição.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal
– Bíblia de Estudo Pentecostal.
– Bíblia de Estudo Macarthur.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.