A natureza manifesta a grandeza de Deus ao ser humano.

Salmos 19: 1-4
 “Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos. Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite. Sem linguagem, sem fala, ouvem-se as suas vozes em toda a extensão da terra, e as suas palavras, até ao fim do mundo. Neles pôs uma tenda para o sol”.

A Bíblia está acima de qualquer obra literária redigida e impressa neste mundo. Ela é superior, em todos os quesitos, a qualquer outro livro do mundo. O mundo, com sua inerente sabedoria e vasto acúmulo de conhecimento estritamente intelectual nunca foi capaz de produzir um livro que se possa comparar com a Bíblia. Do vasto conhecimento que podemos adquirir através dos livros seculares, sem que seja possível fazer qualquer tipo de exceção, nenhum deles tem o poder de transformar o caráter de alguém como a Bíblia o faz.

Através da Matemática aprendemos a conhecer e calcular os valores das coisas, mas é na Bíblia que nos é revelado o valor de uma vida. A Matemática é a ciência que estuda, por meio do raciocínio dedutivo, as propriedades dos seres abstratos (números, figuras geométricas etc.), bem como as relações que se estabelecem entre eles; a Bíblia é a Palavra de Deus que, Ele por Sua livre vontade, fez chegar até nós a fim de que, pela fé (não pela intelectualidade), compreendêssemos a dimensão e extensão do Seu amor pela humanidade. Com a Matemática aprendemos, através dos cálculos, a programar os nossos dias; com a Bíblia aprendemos a viver da providência de Deus.

A própria Bíblia expressa sua infalibilidade, reivindicando autoridade. Nenhum outro livro ousa fazê-lo. Encontramos essa reivindicação nas seguintes expressões – “Disse o Senhor a Moisés”; “O Senhor é quem fala”; “Disse o Senhor a Isaías”; “Assim diz o Senhor”. Outras expressões semelhantes são encontradas: “Palavra que veio a Jeremias da parte do Senhor”; “Veio expressamente a Palavra do Senhor a Ezequiel”; “Palavra do Senhor que foi dirigida a Oséias”; “Palavra do Senhor que foi dirigida a Joel”, etc. Expressões como estas são encontradas mais de 3.800 vezes no Velho Testamento. Portanto o Antigo Testamento afirma ser a revelação de Deus, e essa mesma reivindicação faz o Novo Testamento – “Se alguém cuida ser profeta ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor”; “Pelo que também damos, sem cessar, graças a Deus, pois, havendo recebido de nós a palavra da pregação de Deus, a recebestes, não como palavra de homens, mas (segundo é, na verdade) como palavra de Deus, a qual também opera em vós, os que crestes”.

Das sete formas que Deus escolheu para se revelar ao homem, a Escritura Sagrada é uma delas. A Bíblia  é a revelação escrita de Deus e, como tal, abrange importantes aspectos: Ela é variada:  Variada em seus temas, pois abrange aquilo que é doutrinário , devocional, histórico, profético e prático; ela é parcial; ela  é  completa naquilo que já foi  revelado; ela é progressiva; e, por fim, ela é definitiva.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Apostila de Bibliologia (Autor Desconhecido)

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.