A Palavra de Deus não pode ser anulada.

João 10: 35
 “Pois, se a lei chamou deuses àqueles a quem a palavra de Deus foi dirigida (e a Escritura não pode ser anulada)”.

No contexto bíblico, este versículo (João 10:35) é uma resposta de Jesus aos judeus que o acusavam de blasfêmia, então o Senhor Jesus fez uso do Antigo Testamento demonstrar que não estava blasfemando e que, muito menos, tinha dito que era o próprio Deus (embora Ele o seja), mas Jesus, tão somente se referiu a Deus como sendo Seu Pai e que o relacionamento deles era muito íntimo. Jesus citou o Salmo 82:6 onde os governantes israelitas e os juízes são chamados “deuses” – “Eu disse: Vós sois deuses, e vós outros sois todos filhos do Altíssimo”. “Vós sois deuses” é uma referência que o próprio Senhor fez em relação aos lideres do povo (governantes, sacerdotes e juízes).

Ora, se Deus chamou os lideres israelitas de deuses por serem agentes da revelação e da vontade de Deus, como poderiam considerar como blasfêmia o fato de Jesus chamar a si próprio de “Filho de Deus”? Jesus repreendeu os lideres religiosos, porque Ele é o Filho de Deus em um relacionamento único e incomparável de unidade com o Pai.

 A frase “a Escritura não pode ser anulada” e uma clara afirmação da verdade bíblica. Se, aceitamos a Cristo como Senhor, também devemos aceitar o testemunho que Ele dá a respeito da Bíblia, como prova de que ela é a Palavra de Deus.

É importante observar que os livros da “Lei e dos Profetas”, utilizado na igreja primitiva, eram os mesmos 39 livros do Antigo Testamento cristão. Os rabinos desenvolveram diferentes meios de contar os livros (por exemplo, os 12 Profetas Menores são geral e simplesmente chamados de “os Doze” e contados como um único livro nas fontes judaicas), mas o conteúdo é o mesmo. Não há evidência de que os judeus ou cristãos do primeiro século considerassem outro livro religioso além dos livros judaicos, inclusive os chamados “apócrifos” e os numerosos livros pseudepigráficos, como canônicos.

De acordo com Martinho Lutero, nós devemos deixar de lado as nossas próprias opiniões e sentimentos, e pensar nas Escrituras como as mais altas e nobres das coisas sagradas, como a mais rica das minas que jamais poderá ser inteiramente explorada, para que possa encontrar aquela sabedoria divina que Deus aqui lança diante de nós de forma tão singela que impede qualquer tipo de orgulho. Nela nós encontramos a manjedoura e os panos que envolviam o bebê, no lugar para onde os anjos enviaram os pastores. Mas, por mais simples e baratos que fossem aqueles panos, caríssimo era o tesouro — Cristo — que eles envolviam.

Jesus e o Pai não são a mesma pessoa, embora sejam um só em essência e natureza Assim. Sua afirmação de ser Deus foi inconfundível. Os lideres religiosos queriam matá-lo. porque a lei dizia que qualquer homem que afirmasse ser Deus deveria morrer. Nada poderia convencê-los de que a afirmação de Jesus era verdadeira, nem os milagres.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal.
– Bíblia de Estudo Arqueológica, Novo Testamento.
– Teologia Sistemática Norman Geisler, vol. 1

Compartilhar

2 thoughts on “A Palavra de Deus não pode ser anulada.

  • 11 de janeiro de 2022 em 05:02
    Permalink

    Estudo maravilhoso e de muito proveito para mim parabéns Deus continue lhe abençoando.

    Resposta
  • 12 de janeiro de 2022 em 21:22
    Permalink

    DEUS continue te abençoando sempre Pastor.
    Linda explicação.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.