O estudo da Bíblia deve instruir o crente, expor e corrigir o erro.

II Timóteo 3: 16
 “Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça”.

Indiscutivelmente, quando estudamos a Palavra de Deus, nós falhamos (não raramente) nas interpretações daquilo que o Senhor está nos falando. Geralmente, quando examinamos a Escritura Sagrada, forçamos uma interpretação de alguns textos que, claramente, são exortações e advertências. Embora o crente sincero e fiel veja nestes textos o cuidado de Deus para com a sua vida, todavia, existem outros crentes que forçam o texto a ‘dizer’ algo que não está escrito. O crente fiel consegue extrair da Bíblia ensinos de todo e qualquer texto, pois afinal, ela assegura, de si mesma, que é para isso que foi escrita.

A Bíblia, além de não ser um livro humano, ela também não é uma coleção de histórias, fábulas, mitos ou ideias meramente humanas a respeito de Deus.  A Bíblia é a Palavra de Deus. Através do Espirito Santo, Deus revelou sua pessoa e seu plano para certos crentes, os quais escreveram sua mensagem para o seu povo – “Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação; porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo”. Este processo é conhecido como inspiração divina. Os escritores escreveram levando em conta seus próprios contextos pessoais, históricos e culturais. Embora tivessem usado suas próprias mentes, talentos, linguagem e estilo, eles escreveram o que Deus queria que escrevessem.

A Escritura é completamente fidedigna porque Deus estava no controle do que estava sendo escrito. Suas palavras têm toda a autoridade sobre nossa vida e fé. A Bíblia foi escrita sob completa orientação e inspiração de Deus, por isso, devemos sempre ler a Bíblia e usar seus ensinos para guiar nossa conduta. A Bíblia inteira é a Palavra inspirada de Deus. Por ser inspirada e fidedigna, devemos lê-la e aplicá-la à nossa vida. A Bíblia é o nosso padrão para testar tudo o que é declarado como sendo verdade. É a proteção contra os falsos ensinos e a fonte de direção para o nosso modo de viver.

As Sagradas Escrituras como a Palavra de Deus devem ser recebidas, cridas e obedecidas pelo crente como a autoridade suprema em todas as coisas pertencentes à vida e à piedade. O crente deve totalmente consagrar-se a Deus. Somente Deus, mediante sua vontade revelada e sua Palavra inspirada, pode guiar a vida do crente. O crente deve ter como seu propósito na vida, buscar e amar a Deus de todo o coração, de toda a alma e de todas as suas forças, confiando nEle para conceder-lhe aquilo que é bom para a sua vida.

Na igreja, a Bíblia deve ser a autoridade final em todas as questões de ensino, de repreensão, de correção, de doutrina e de instrução na justiça. Ninguém pode submeter-se ao senhorio de Cristo sem estar submisso a Deus e à sua Palavra como a autoridade máxima. Só podemos entender devidamente a Bíblia se estivermos em harmonia com o Espírito Santo. É Ele quem abre as nossas mentes para compreendermos o seu sentido, e quem dá testemunho em nosso interior da sua autoridade.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal.
– Bíblia de Estudo Pentecostal.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.