Orando pelo auxílio de Deus.

Jeremias 15:15
 “Tu, ó Senhor, o sabes; lembra-te de mim, e visita-me, e vinga-me dos meus perseguidores; não me arrebates, por tua longanimidade; sabe que, por amor de ti, tenho sofrido afronta”.

Evidentemente que o versículo bíblico em apreço não pode ser aplicado em qualquer circunstância que as pessoas possam estar vivendo. No contexto bíblico, o versículo acima é uma queixa do profeta diante da aparente demora do Senhor em socorrê-lo nas horas de angústias. A queixa do profeta era a de que Deus não o ajudou quando realmente precisou. O profeta tirou seu olhar dos propósitos do Senhor, e passou a lamentar-se. Estava irado, magoado e temeroso.

É tremendo ver como Deus trata com seus filhos. Ele não se irou com o profeta, muito pelo contrário, ajudou o profeta a reorganizar suas prioridades. Como profeta de Deus, ele deveria influenciar as pessoas e, não se deixar influenciar por elas e nem pelas circunstancias que o rodeava. O Senhor espera que confiemos nEle a despeito da situação e a forma como oramos revela nossos mais profundos e conhecimento de Deus.

Como Pai Amoroso que é, nosso Deus não age com parcialidade. Nossa oração não pode, de maneira alguma, estar estribada em nossa devoção religiosa, ou seja, não podemos estar confiantes de que seremos atendidos em nossas petições pelo simples fato de sermos membros de uma determinada igreja. Nossa confiança em ter as orações atendidas estão ancoradas na nossa condição de filhos obedientes. Algumas pessoas lidam com Deus como se Ele fosse o gênio da lâmpada mágica. É só fazer os pedidos e, estes, serão prontamente atendidos.

Orar como Jeremias orou não é algo que todos os que se dizem “cristãos” podem fazer. Certamente quando passamos a ter um conhecimento mais detalhado de tudo o que este profeta viveu, entenderemos que o seu pedido de vingança tinha fundamento. Jeremias, dentre os profetas do Antigo Testamento, foi um dos que usou as palavras de forma clara, sem rodeios e sem analogias – “Corrige-te, ó Jerusalém, para que a minha alma não se aparte de ti, para que não te torne em assolação e terra não habitada”. Todavia, mesmo diante de tanta clareza nas palavras, o povo as recusou deliberadamente – “Dir-lhes-ás, pois, todas estas palavras, mas não te darão ouvidos; chamá-los-ás, mas não te responderão”.

Jeremias queixou-se diante do Senhor, de que todo o povo da terra o amaldiçoava. O Senhor lhe respondeu dizendo que quando chegasse o juízo, seus inimigos lhe implorariam por ajuda. Neste contexto, o termo vingar, aplicado biblicamente, diz respeito a fazer justiça e não simplesmente ir à forra pagando com a mesma moeda.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal.

Compartilhar

2 thoughts on “Orando pelo auxílio de Deus.

  • 13 de maio de 2022 em 07:03
    Permalink

    Comentário da leitura de hoje… Tremendo.. conservado no azeite este texto
    . DEus abençoe muito o senhor Pr Erivelton Figueiredo

    Resposta
    • 13 de maio de 2022 em 07:41
      Permalink

      Graça e Paz. Pr. Rafael.
      Obrigado pela parceria. Deus te retribua copiosamente.

      Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.