Ame a Deus com todo o teu coração, alma e pensamento.

Mateus 22:37,38
 “E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento”.

O que Deus pede de todos quantos creem em Cristo e que recebem a salvação é o amor devotado – “Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu poder”, esse texto diz “coração… alma… poder”, não obstante, outras versões bíblicas, fazem uso de outros termos, tais como: força e mente. Todavia, o uso dos vários termos não tem o propósito de delinear faculdades humanas distintas, mas enfatizar a plenitude do tipo de amor a que se é chamado a amar.

O amor com o qual o Senhor quer ser amado, pelas pessoas, requer uma atitude de coração, pela qual atribuímos a Deus tanto valor e estima, que verdadeiramente ansiamos pela comunhão com Ele, esforçarmo-nos para obedecer-lhe e sinceramente nos importamos com sua glória e vontade na terra. Aqueles que realmente amarem a Deus, desejarão compartilhar do sofrimento por amor a Ele – “[…] para conhecê-lo, e a virtude da sua ressurreição, e a comunicação de suas aflições, sendo feito conforme a sua morte […]”, promover o seu reino – “E eu faço isso por causa do evangelho, para ser também participante dele” e viver em prol da sua honra e dos seus padrões de justiça na terra.

Nosso amor a Deus deve ser sincero e predominante, inspirado pelo seu amor a nós, mediante o qual Ele deu seu Filho para nos salvar. O amor de Deus é suficientemente imenso para abranger todos os homens, “o mundo” e, Ele deu seu Filho como oferenda na cruz por nossos pecados. A expiação procede do coração amoroso de Deus. Não foi algo que Ele foi obrigado a fazer.

Amar a Deus, requer de quem O ama um vínculo pessoal de fidelidade e lealdade a Ele; requer uma fé como firme e inabalável nAquele a quem fomos unidos pela filiação (Jesus); requer um fiel cumprimento dos nossos votos e compromissos para com Ele; requer uma devoção cordial, expressada em nossa dedicação aos padrões justos de Deus no meio de um mundo que o rejeita; e requer o anseio pela Sua presença e pela comunhão com Ele.

Amar a Deus é a essência do ‘Shema’ judaico. O ‘Shema’ era considerado o maior mandamento. Jesus Cristo, quando perguntado a respeito do maior mandamento, citou o que Moisés havia prescrito para os judeus na lei. O ‘Shema’ é o princípio fundamental dos Dez Mandamentos, e estes, por sua vez, contêm a essência do concerto de Deus com Israel. O concerto de Deus se divide entre uma declaração que afirma a natureza de Deus e outra que ordena determinada resposta a essa compreensão. O ‘Shema’ deve ser mais que uma mera abstração, antes, deve estar profundamente arraigado no coração e, em seguida, posto em prática.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal.
– Bíblia de Estudo MacArthur.
– Bíblia de Estudo Holman

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.