A consciência de como estamos edificando o nosso alicerce.

1 Coríntios 3:10
 “Segundo a graça de Deus que me foi dada, pus eu, como sábio arquiteto, o fundamento, e outro edifica sobre ele; mas veja cada um como edifica sobre ele”.

Como cidadãos do Reino de Deus, aquilo que estamos edificando em nós mesmos, tem estreita relação com o fundamento (ensino doutrinário) que recebemos. O fundamento da Igreja e Jesus Cristo. Paulo, na primeira carta escrita aos Coríntios, assegura que o fundamento posto por ele (pregando a respeito de Cristo) foi feito com dedicação, sabedoria e zelo quando começou a igreja de Corinto. Agora, ele chama a atenção, não somente dos que ensinam nas igrejas, mas, também, de todos que recebem a instrução, para que estejam atentos aquilo que estão edificando.

Na Igreja fundamentada em Jesus Cristo, cada membro deve ser espiritualmente maduro, sensível e ter em sua vida a sã doutrina. A igreja de Corinto, porém, estava repleta de membros cujas obras eram de “madeira, feno e palha”; membros que eram imaturos, insensíveis uns para com os outros e vulneráveis a doutrinas erradas.

A Bíblia ensina que os crentes terão, um dia, de prestar contas “ante o tribunal de Cristo”, de todos os seus atos praticados por meio do corpo, sejam bons ou maus. Todos os crentes serão julgados; não haverá exceção. Esse julgamento ocorrerá quando Cristo vier buscar a sua igreja – “Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem ou mal”. O juiz desse julgamento é Cristo.

A Bíblia fala do julgamento do crente como algo sério e solene, mormente porque inclui para este a possibilidade de dano ou perda; de ficar envergonhado diante dEle “na sua vinda”, e de queimar-se o trabalho de toda sua vida – “Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo”.

Esse julgamento, não é para sua salvação, ou condenação. É um julgamento de obras. Tudo será conhecido. A palavra “comparecer” significa “tornar conhecido aberta ou publicamente”. Deus examinará e revelará abertamente, na sua exata realidade, nossos atos secretos, nosso caráter, nossas palavras, nossas boas obras, nossas atitudes, nossos motivos, nossa falta de amor e nosso trabalho e ministério.

Em suma, o crente terá que prestar contas da sua fidelidade ou infidelidade a Deus e das suas práticas e ações, tendo em vista a graça, a oportunidade e o conhecimento que recebeu.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal (pág. 1775, extraído e adaptado).
– Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal.

Compartilhar

2 thoughts on “A consciência de como estamos edificando o nosso alicerce.

  • 23 de junho de 2022 em 08:21
    Permalink

    Está aí um assunto muito interessante e que tenho interesse em me aprofundar. Obrigada por trazer um pouco de luz sobre o texto de 1 Coríntios 3

    Resposta
    • 23 de junho de 2022 em 08:49
      Permalink

      Graça e Paz Sílvia.
      Nenhum entendimento das “coisas que são do alto” é possível, se ele (o entendimento) não vier do alto.
      Deus te abençoe e Ele te dê a luz.
      Grato e honrado por sua visita.
      Erivelton Figueiredo

      Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.