O ataque nas esferas espiritual e social.

1 Timóteo 4:1-3
 “Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios, pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência, proibindo o casamento e ordenando a abstinência dos manjares que Deus criou para os fiéis e para os que conhecem a verdade, a fim de usarem deles com ações de graças”.

O termo original em grego, do qual foi transliterado a palavra apostasia, é definido como uma decaída, deserção, rebelião, abandono, retirada ou afastar-se daquilo a que antes se estava ligado. Neste sentido, apostatar, aplicado no meio cristão, significa cortar o relacionamento salvífico com Cristo, ou apartar-se da união vital com Ele e da verdadeira fé nEle. Sendo assim, a apostasia individual é possível somente para quem já experimentou a salvação, a regeneração e a renovação pelo Espírito Santo; não é simples negação das doutrinas do Novo Testamento pelos inconversos dentro da igreja visível.

A apostasia pode envolver dois aspectos distintos, embora relacionados entre si: a apostasia teológica, que é a rejeição de todos os ensinos originais de Cristo e dos apóstolos ou dalguns deles; e a apostasia moral, que se aplica àquele crente que deixa de permanecer em Cristo e volta a ser escravo do pecado e da imoralidade – “Porque o Senhor disse: Pois que este povo se aproxima de mim e, com a boca e com os lábios, me honra, mas o seu coração se afasta para longe de mim, e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, em que foi instruído”.

A Bíblia adverte fortemente quanto à possibilidade da apostasia, visando tanto nos alertar do perigo fatal de abandonar nossa união com Cristo, como para nos motivar a perseverar na fé e na obediência. O propósito divino nestes trechos bíblicos de advertência não deve ser enfraquecido pela ideia que afirma: “as advertências sobre a apostasia são reais, mas a sua possibilidade, não”. Antes, devemos entender que essas advertências são como uma realidade possível durante o nosso viver aqui, e devemos considerá-las um alerta, se quisermos alcançar a salvação final.

O processo que conduz o crente a apostasia tem início quando o crente, por sua falta de fé, deixa de levar plenamente a sério as verdades, exortações, advertências, promessas e ensinos da Palavra de Deus; quando as realidades do mundo chegam a ser maiores do que as do reino celestial de Deus, o crente deixa paulatinamente de aproximar-se de Deus através de Cristo; por causa da dureza do seu coração e da sua rejeição dos caminhos de Deus, não faz caso da repetida voz e repreensão do Espírito Santo; o Espírito Santo se entristece; seu fogo se extingue e seu templo é profanado – “Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo”.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal (pág. 1903, extraído e adaptado)

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.