O poder da Palavra de Deus e da oração.

1 Timóteo 4:5
 “Porque, pela palavra de Deus e pela oração, é santificada”.

O discurso que Satanás tem colocado na boca de alguns ‘pregadores’ distorcendo sutilmente os ensinos da Bíblia, tem induzido e conduzido muitos crentes à pratica habitual de certas coisas que, mesmo não estando escritas ‘com todas as letras’ na Bíblia, ainda assim, são práticas pecaminosas. Paulo, na carta escrita aos Gálatas, afirmou que tudo o que Deus criou ê bom. Devemos pedir a bênção de Deus sobre as dádivas que Ele criou e que nos dão prazer, e agradecer-lhe por elas, porém, isto não significa que devemos abusar daquilo que Deus criou (por exemplo, a glutonaria é um abuso dos alimentos que Deus nos deu; a luxúria é um abuso do amor, que é um dom de Deus; e o assassinato é um abuso da vida, que também é um dom de Deus). Em vez de abusar, devemos apreciar estes dons usando-os para servir e honrar a Deus.

No contexto, os primeiros versículos do capitulo 4 de Gálatas, dá a entender que Paulo disse (fez um severo julgamento) que os falsos mestres eram mentirosos e hipócritas, e encorajavam as pessoas a seguirem “espíritos enganadores e a doutrinas de demônios“. Satanás engana as pessoas oferecendo uma imitação inteligente de algo real. Os falsos mestres ditaram regras severas (como proibir as pessoas de se casarem ou de comerem certos alimentos). Isto os fez parecer autodisciplinados e justos. Sua rígida disciplina para com o corpo, porém, não podia remover o pecado. Não devemos ficar indevidamente impressionados com o estilo ou com as credenciais de um ensinador; devemos observar os ensinamentos que ele transmite a respeito de Jesus Cristo. Suas conclusões a respeito do Senhor mostram a fonte de sua mensagem.

A teologia de Paulo acerca da santificação é algo extraordinário. Ele diz claramente que não é o simples fato de cumprirmos cabalmente uma regra que nos torna mais santificados, pois, tais rudimentos “têm, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum, senão para a satisfação da carne”. Não podemos alcançar a Deus seguindo regras de abnegação, observando rituais ou praticando uma religião. Paulo não está dizendo que todas as regras são ruins, mas que a atitude de simplesmente guardar as leis ou as regras não nos garante a salvação.

Para os crentes colossenses, a disciplina exigida pelos falsos mestres parecia boa. E ainda hoje o legalismo atrai muitas pessoas. Seguir uma longa lista de regras religiosas exige uma forte autodisciplina e pode fazer uma pessoa parecer moral, mas as regras religiosas não são capazes de mudar o coração de uma pessoa. Somente o Espirito Santo pode fazê-lo.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de estudo Pentecostal.
– Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.