A necessidade de glorificar a Deus com o corpo.

1 Coríntios 6:20
 “Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus”.

No Novo Testamento, a palavra mais frequentemente traduzida como “imoralidade sexual” é porneia. Esta palavra também é traduzida como “prostituição”, “fornicação” e “idolatria”. Quando falamos sobre imoralidade sexual, estamos apontando para aquelas pessoas que “renunciaram à pureza sexual”, geralmente, a imoralidade sexual implica em relações sexuais antes e fora do casamento. O termo grego ‘porneia’ é a raiz da palavra, de origem inglesa, ‘pornografia’, que tem conotação com o conceito de “venda”. A imoralidade sexual é a “venda” da pureza sexual e envolve qualquer tipo de expressão sexual fora dos limites de um relacionamento matrimonial biblicamente definido.

A imoralidade sexual não somente inclui o ato sexual ilícito, mas também qualquer prática sexual com outra pessoa que não seja seu cônjuge. Há quem ensine, em nossos dias, que qualquer intimidade sexual entre jovens e adultos solteiros, tendo eles mútuo “compromisso”, é aceitável, uma vez que não haja ato sexual completo. Tal ensino peca contra a santidade de Deus e o padrão bíblico da pureza. Deus PROIBE, EXPLICITAMENTE, “descobrir a nudez” ou “ver a nudez” de qualquer pessoa a não ser entre marido e mulher LEGALMENTE casados (consulte Levítico 18.6-30; 20.11, 17, 19-21).

Dentro do padrão bíblico, a intimidade sexual é limitada ao matrimônio. Somente nesta condição ela é ACEITA e ABENÇOADA por Deus. Mediante o casamento, marido e mulher tornam-se uma só carne, segundo a vontade de Deus. Os prazeres físicos e emocionais normais, decorrentes do relacionamento conjugal fiel, são ordenados por Deus e por Ele honrados. O adultério, a fornicação, o homossexualismo, os desejos impuros e as paixões degradantes são pecados graves aos olhos de Deus por serem transgressões da lei do amor e profanação do relacionamento conjugal. Tais pecados são severamente condenados nas Escrituras e colocam o culpado fora do reino de Deus.

Como crentes, nosso corpo é a morada pessoal do Espírito Santo – “Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus. Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele. E, se Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito vive por causa da justiça”. Porque Ele habita em nós e pertencemos a Deus, nosso corpo nunca deve ser profanado por qualquer impureza ou mal, proveniente da imoralidade, nos pensamentos, desejos, atos, filmes, livros ou revistas. Pelo contrário, devemos viver de tal maneira que glorifiquemos e agrademos a Deus em nosso corpo.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal (pág. 1941, extraído e adaptado)
– Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.