Tentemos domar essa fera. (1ª Parte)

Um pregador inglês, do século 17, disse certa vez: “O maior dos pecados de um homem está em suas palavras“.

Ao escrever para os judeus cristãos, Tiago estava convidando-os a ter um comportamento devidamente cristão. O verdadeiro cristão suporta pacientemente as tribulações, pratica a verdade a todo tempo, controla seus sentimentos e temperamentos e por fim, evita os conflitos, seja qual for o motivo. No capítulo 3, ele dedica dois terços, dos dezoito versículos, a falar do “pequenino órgão”, a língua. Pelo tom geral deste capítulo, deveria haver na igreja judaica, muitos presunçosos, briguentos, de mentalidade mundana, de temperamento descontrolado, que se impunham como líderes e mestres. Pela linguagem expressamos os nossos pensamentos e revelamos se o que nos domina é nossa própria vontade ou se é a obediência à vontade de Deus. Tiago não diz que todo mundo usa, deliberadamente, mau a língua, mas que esta, é às vezes, mal-empregada por todas as pessoas, involuntariamente.

O poder das palavras é um dos maiores poderes que Deus deu ao homem. O ser humano pode usar a língua para louvar a Deus, orar, pregar a Palavra e levar os perdidos a Cristo. O que é uma honra e privilégio! Mas também é capaz de usar a mesma língua para contar mentiras que podem arruinar a reputação de uma pessoa ou magoá-la profundamente. A capacidade de proferir palavras corresponde à capacidade de influenciar a outros e de realizar tarefas grandiosas; no entanto, não lhe damos o devido valor.
Se fizermos uma pesquisa para sabermos qual é uma das causas dos grandes problemas de relacionamento entre pessoas, sem dúvida a resposta da maioria será: “O USO INDISCIPLINADO DA LÍNGUA”.

Conta-se que três jovens foram orar em um monte. Em determinado momento, pararam de orar e resolveram confessar um ao outro “o seu ponto fraco”.
O primeiro disse:
O meu ponto fraco, é que não posso olhar para as meninas da igreja que eu logo penso bobagem.
O segundo disse:
— O meu ponto fraco é pior do que o seu, não posso olhar para os rapazes da igreja, porque tenho tendência para o homossexualismo.
O terceiro disse:
O meu ponto fraco eu não vou contar, porque é pior do que o de vocês.
Mas de tanto insistirem, ele contou.
O meu ponto fraco está na língua. Eu estou com uma vontade incontrolável de descer lá na igreja, e contar para toda a comunidade o Que vocês acabaram de contar para mim. Os rapazes então disseram:
Vamos orar primeiro por ele, caso contrário estaremos perdidos.

Tiago usa seis figuras para representar a língua, a fim de deixar clara a importância de ser controlado no falar e de mostrar as consequências sérias de nossas palavras, essas figuras podem ser divididas em três categorias, que revelam o poder da língua: poder de dirigir, poder de destruir e poder de satisfazer.

Se alguém entre vós cuida ser religioso, e não refreia a sua língua, antes, engana o seu coração, a religião desse é vã” (Tg 1:26)
Porque quem quer amar a vida e ver os dias bons, refreie a sua língua do mal e os seus lábios não falem engano“(1 Pe. 3:10)
Porque por tuas palavras serás justificado, e por tuas palavras serás condenado“(Mt 12:37)

 

Adaptado: A Língua -Domando essa fera – Josué Gonçalves

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.