Devocional lição 05/ 3º trim 2017, Sábado – O Espírito Santo é o Consolador.

João 16:13
Mas, quando vier aquele Espírito da verdade, ele vos guiará em toda a verdade, porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará o que há de vir

O Crente que passa pela vida como se fosse um órfão infeliz certamente não deve estar vivendo concernente com os seus privilégios. Deus pretende que Seus filhos tenham conforto e alegria neste mundo. Um Crente miserável é culpado de incredulidade, e tem um testemunho insignificante, e isso não se refere a Teologia da Prosperidade. A alegria do Senhor é a nossa força e a chave para o sucesso no serviço.
Conforto é uma experiência agradável, porém implica a presença de dificuldades. Este mundo é um lugar de tribulação, perseguição, e lágrimas para os filhos de Deus. Antes da partida de Cristo Ele assegurou aos apóstolos que a dificuldade seria grande em suas vidas. O filho de Deus, portanto, não deve esperar o fim das dificuldades, mas o conforto em suas aflições. 

A palavra grega usada para consolador é ‘parakletos’ que significa “pessoa chamada para acompanhar” o Espírito Santo como um consolador é nosso ajudante, conselheiro e defensor. Em I João 2:1, Cristo é mencionado como nossa ‘parakletos‘. Em João 14:16 Cristo disse que Ele enviaria “outro” consolador. A palavra grega para “outros” é allos e significa “outro do mesmo tipo.” O Espírito Santo é, então, (assim como é Cristo) uma pessoa divina que zela por nós na ausência física de Cristo. Sendo onisciente Ele pode nos ensinar a vontade de Deus. Sendo onipotente Ele nos apoia no mundo. Ele nos ama assim como Cristo faz e, está em comunhão conosco.

Cristo constantemente instruiu os Seus apóstolos durante o Seu ministério terrestre, contudo com à sua partida, eles tiveram, ainda, muito a aprender. Ele lhes “prometeu outro Consolador” que continuaria ensinando-lhes. Nesta condição o Espírito Santo é chamado de “O Espírito da verdade” que veio dar-lhes palavras que deveriam dizer quando fossem perante os tribunais.

“E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis”. Neste texto, vemos que o Espírito Santo intercede por nós incitando as nossas orações. Isto não deve ser confundido com o trabalho de Cristo como intercessor, Que é nosso advogado perante o Pai. Com base na obra remissória terminada por Cristo, Ele intercede ao nosso lado perante o Pai. O Espírito Santo intercede, porém, não diretamente a nosso favor, mas nos ensinando como orar. O Seu trabalho pode ser comparado ao de um advogado que instrui o seu cliente sobre o que ele deve dizer no tribunal. É bom sabermos que quando ajoelhamos para orar temos alguém nos guiando e que conhece a vontade de Deus, podendo conduzir-nos em nossos desejos e petições.

O propósito da Encarnação foi revelar o Pai; a missão do Consolador é revelar o Filho. O Espírito Santo é o Intérprete de Jesus Cristo. Ele não oferece uma nova e diferente revelação, mas abre as mentes dos homens para verem o mais profundo significado da vida e das palavras de Cristo. Como o Filho não falou de si mesmo, mas falou o que recebeu do Pai, assim o Espírito não fala de si mesmo, como se fosse fonte independente de conhecimento, mas declara o que ouviu daquela vida íntima da Divindade.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.