O Senhor é fonte de toda a riqueza, tudo pertence a Ele.

Ageu 2: 8
Minha é a prata, e meu é o ouro, disse o SENHOR dos Exércitos.”

Quero dar inicio ao tema desta semana falando sobre a criação de todas as coisas. A medida que ia criando todas as coisas e avaliando a Sua própria obra, Deus concluía que tudo quanto estava criando estava bom. Mas, o que, às vezes, não compreendemos adequadamente é que a avaliação que o nosso Deus fazia da Sua obra, não era para o Seu próprio benefício, não era para Sua autossatisfação, não era para Seu próprio deleite, a criação e avaliação tinha por finalidade satisfazer, beneficiar, suprir e dar oportunidade ao homem de demonstrar toda sua gratidão, amor e obediência ao Senhor.

Todas as coisas têm sua origem, indiscutivelmente, em Deus. Todos os recursos para a manutenção da vida, independentemente do tipo de vida, quer seja animal ou vegetal, originam em Deus. Ele é o sustentador de tudo quanto criou. Diferente do que imaginamos, o Senhor não toma essa providencia diariamente, isto é, Ele não “acorda” pela manhã apavorado com alguma situação que Lhe fugiu do controle e tem que tomar uma atitude imediata para que as coisas retomem seu curso, isso já está elaborado desde a fundação do mundo, é um ciclo que o próprio Senhor planejou e, este ciclo permanece inalterado até o dia de hoje.

O planejamento é indispensável na vida de qualquer pessoa. A ordem dada no início, por nosso Deus, sobre crescer, frutificar e multiplicar é geral. O que Ele ordenou sobre dominar sobre todas as coisas é expresso a toda humanidade. Devemos entender que na ordem emitida por Deus, ficamos livres para planejar como alcançaremos os objetivos. Deus mandou Adão lavrar a terra, ora como ele iria executar essa ordem, que ferramentas iria usar, que hora iria fazer isso era um planejamento, exclusivamente de Adão. Quando o Senhor mandou Abrão sair da sua terra e parentela e ir para uma terra que ainda lhe seria mostrado, Deus não determinou qual o tipo de veículo Abrão devia usar, não determinou quanto tempo devia durar a viagem, não designou uma rota específica, tudo isso era um planejamento que o próprio Abrão devia elaborar.

É interessante observar que nos projetos em que existem o propósito de Deus em alcançar pecadores, Ele nos ajuda no planejamento, sim, recebemos as devidas instruções, mesmo que não as identifiquemos como sendo divinas, para executarmos nossos projetos dentro de um propósito de Deus. Noé, por exemplo, recebeu a ordem para construir um barco, mas o Senhor não deixou Noé decidir pela dimensão do barco e material a ser usado, pois, se nosso Deus tivesse deixado para ele resolver essas questões provavelmente Noé teria planejado algo menor e menos resistente. Não quero dizer com isso que devemos planejar e esperar que Deus execute nossos planos, não, não é isso, seja qual for o projeto que temos em mente, devemos incluir Deus neles.

Inclua Deus nos teus projetos. Convide-O para ser sócio, ou melhor, chame-O para ajuda-lo administrar todas as suas coisas. NEle está a origem de todas as coisas. Creia nisto!

Deus te abençoe.
Graça e Paz. 

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.