Os levitas são separados para Deus.

Números 3: 45
Toma os levitas em lugar de todo primogênito entre os filhos de Israel e os animais dos levitas em lugar dos seus animais; porquanto os levitas serão meus. Eu sou o SENHOR.”

Não fomos nós que optamos por andar com Deus, mas Ele por Seu inefável amor nos permite, através da fé em Cristo Jesus, nos aproximar e caminhar ao lado Dele. Ele admite e aceita nossa presença junto a Ele, por causa da confiança e esperança que temos na eficácia do sacrifício vicário de Seu Filho.

Por causa da dureza do coração, muitos não querem aceitar e, categoricamente, rejeitam e tratam a doutrina da eleição como algo que diverge da justiça de Deus, desta forma, asseguram que Deus não é tão justo quanto a Sua Palavra assegura de Si mesmo, pois, alegam os céticos religiosos, se Deus escolhe uns em detrimento a outros com melhores aptidões, Ele não age com justiça. Contudo, dizem isso, por não conhecerem Deus.

A doutrina da eleição é tão simples de entender quanto beber água. Deus escolheu ou elegeu os seus, fundamentado exclusivamente em seus atributos de onisciência e presciência, ou seja, por saber e conhecer todas as coisas, antecipadamente, Ele já sabia quem responderia afirmativamente ao Seu chamado. Eu entendo que o chamado de Deus, é numa esfera universal, já a escolha é feita segundo o Seu poder em conhecer a todos, mesmo os que ainda hão de vir a este mundo. Ora, se Deus tem conhecimento de tudo quanto aconteceu, está acontecendo e vai acontecer em toda obra criada, nada mais razoável Ele chamar de escolhidos ou eleitos, aqueles que ouvem e atendem ao Seu chamado.

A criação do homem não foi por uma necessidade, Deus o quis criar pelo seu imutável amor e justiça. Quando criou o homem, já era do conhecimento do Senhor, que havia a necessidade de que a criatura moral que acabara de criar precisava ser salva. E, tanto a criação como a salvação foram operadas livremente por Deus, desta forma, a mesma liberdade que Deus usou na criação e salvação, foi transferida ao homem. Ora, se Deus escolheu livremente criar e salvar o homem, é necessário que a salvação seja operada dentro dos critérios de liberdade concedida ao homem, sendo assim, não existe nenhuma condição para que Deus conceda a salvação, mas uma, e só uma, é necessária para receber o dom da vida eterna – a FÉ.

O chamado, o convite ou a proposta da salvação se estende a todos os homens, por que ela (a salvação) não está condicionada a perspectiva dAquele que concede, mas, a todos os que foram chamados, convidados ou proposto a salvação, sobre estes exige-se uma condição, que mesmo sendo uma imposição dAquele que propõe, pode ser rejeitada. Em suma, a salvação vem de Deus, mas somente podemos recebê-la por meio da fé.

Quando somos separados por eleição para pertencermos a Deus, Ele exige exclusividade. Ele não admite o menor deslize dos seus eleitos sem que haja a retratação através do arrependimento. Deus tem ciúmes dos seus eleitos.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.