A dupla advertência de Jesus aos seus discípulos.

Mateus 26: 41
Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca.”

O sinergismo está patente nesta advertência que o Senhor Jesus faz a todos que queiram segui-Lo de perto. Nós, apesar da nossa natureza decaída, somos intimados a cooperar com nossa salvação, pois, Deus não salvará aquele que não quer ou aquele que entende que não precisa ser salvo, por isso, todo aquele que conhece, em si mesmo, a necessidade de ser salvo, reagirá reciprocamente a este ato exclusivo de Deus. Não podemos esquecer jamais que a salvação é uma concessão ao pecador e não uma imposição e, para que essa concessão não seja revogada, cabe ao pecador cooperar com a sua permanência.

Atentemos para a sequencia das duas ações – VIGIAR e ORAR. Elas estão dispostas num cronograma de maneira que a segunda só será possível se a primeira for observada. A razão pela qual o Senhor pede que estejamos vigilantes em todo o tempo e o tempo todo, é em função dos inimigos que enfrentamos. Enquanto estivermos neste mundo, ininterruptamente, seremos bombardeados de todos os lados por toda a sorte de tentações. Até dormindo devemos manter nosso coração velando, orienta o Senhor na Sua Palavra.

Um erro de interpretação do Salmo 91, leva muito crente a viver de maneira descuidada, achando que, por ser servo de Deus, estará imune ou isento dos perigos que a Bíblia tanto nos adverte para vigiarmos, perigos que são reais e iminentes. Estes crentes se prendem apenas no primeiro versículo e não observam o que o Senhor está falando no resto do Salmo. Quando vigiamos e oramos, nesta ordem, então, estaremos descansando à sombra do Onipotente, com isso, obteremos vitórias nas batalhas sem ter que pelejar.  

Vigiar é estar acautelado, precavido e prudente em todas as nossas ações, não apenas no sentido de se defender de possíveis ataques, mas também, estar resguardado no comportamento que se deve ter com o próximo. É vigiar para não ser atingido pelas setas inflamadas dos inimigos, mas, também, vigiar para não ser arma que fira mortalmente as pessoas que nos rodeiam.

Por estarmos vigilantes oramos por socorro, por estarmos vigilantes oramos pelo socorro provido, por estarmos vigilantes oramos pelo socorro que virá, por estarmos vigilantes oramos pela nossa urgente redenção. Precisamos estar vigilantes porque o nosso inimigo está sempre procurando maneiras de nos destruir. Os ataques e as tentações podem surgir quando e onde menos esperamos. Vigiemos e oremos.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.