O discernimento de espíritos é um dos dons do Espírito Santo.

I Coríntios 12: 10
E a outro, a operação de maravilhas; e a outro, a profecia; e a outro, o dom de discernir os espíritos; e a outro, a variedade de línguas; e a outro, a interpretação das línguas.”

A abundância dos dons e a maneira de se encaixarem nas necessidades do Corpo demonstram que a atuação de Deus é: “Não por força, nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor“. Alguns classificam os dons de acordo com a natureza deles, tais como: dons de revelação, de poder e de expressão vocal. Outros distinguem entre dons itinerantes, tais como apóstolos, mestres e evangelistas; e dons locais, tais como pastores, governos e socorros. Outros, dividem-nos segundo a sua função: proclamação, ensino, serviço e administração.

Para maior conveniência, os dons são classificados em três grupos.
Primeiro: dons para o estabelecimento da igreja e para levá-la a uma maturidade em que todos os membros poderão receber seus próprios dons e contribuir para a edificação do corpo local – Efésios 4.11-16. Trata-se dos apóstolos, profetas, evangelistas e pastores-mestres que são escolhidos pelo Senhor e, dados como dons à Igreja. Em cada ministério, está envolvido algo mais do que uma manifestação ocasional do dom do Espírito. Assim como os primeiros apóstolos, esses são homens maduros e treinados, que não foram enviados até obterem experiência com o grande Mestre (Jesus, e depois o Espírito Santo que também é Mestre, o Espírito da Verdade). O ministério deles não era limitado a uma só igreja local. Mais cedo ou mais tarde, mudavam-se, porque tinham sido dados à Igreja.

– Segundo: dons de edificação da igreja, através dos membros locais. Essas são manifestações dos dons espirituais que são dados à medida que são necessários e conforme o Espírito Santo deseja. Podem ser exercidos por qualquer membro da congregação. Mesmo assim, em alguns casos, nas congregações, um ministério pode desenvolver-se no contexto de algum dom, de modo que, nesse sentido, alguns possam ser chamados profetas, intérpretes ou operadores de milagres. Mas, isso não significa que “possuem” o dom no sentido de residir neles. São dons do Espírito, sendo que cada um é entregue conforme Ele deseja. É importante, também, que todos esses dons sejam ministrados no contexto da igreja. Os dons não tornam a pessoa independente da ajuda dos outros. Todas as Epístolas de Paulo demonstram o quanto ele dependia do apoio e das orações dos membros das igrejas.

 -Terceiro: dons para o serviço e para alcançar os de fora. Estes incluem a administração, o governo, o ministério, a contribuição, os socorros, a misericórdia e a exortação. A profecia, a fé, os milagres e as curas certamente contribuem para o alcance missionário.

Como os demais dons, o dom de discernimento de espíritos não ergue o indivíduo a um nível mais alto de capacidade. Nem oferece a alguém o poder de olhar as pessoas e dizer de que espírito são. É um dom apropriado para uma ocasião específica. “E aconteceu que, indo nós à oração, nos saiu ao encontro uma jovem, que tinha espírito de adivinhação, a qual, adivinhando, dava grande lucro aos seus senhores. Esta, seguindo a Paulo e a nós, clamava, dizendo: Estes homens, que nos anunciam o caminho da salvação, são servos do Deus Altíssimo. E isto fez ela por muitos dias. Mas Paulo, perturbado, voltou-se e disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, te mando que saias dela. E na mesma hora saiu.”

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– O que a Bíblia Diz Sobre o ESPÍRITO SANTO – Stanley M. Horton (Extraído na íntegra)

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.