Deus, o edificador de sua Casa.

Hebreus 3: 1-6
Pelo que, irmãos santos, participantes da vocação celestial, considerai a Jesus Cristo, apóstolo e sumo sacerdote da nossa confissão, sendo fiel ao que o constituiu, como também o foi Moisés em toda a sua casa. Porque ele é tido por digno de tanto maior glória do que Moisés, quanto maior honra do que a casa tem aquele que a edificou. Porque toda casa é edificada por alguém, mas o que edificou todas as coisas é Deus. E, na verdade, Moisés foi fiel em toda a sua casa, como servo, para testemunho das coisas que se haviam de anunciar; mas Cristo, como Filho, sobre a sua própria casa; a qual casa somos nós, se tão somente conservarmos firme a confiança e a glória da esperança até ao fim.”

De maneira extraordinária, o autor aos Hebreus, expôs com poucas palavras a simbologia do Tabernáculo, começando com o trabalho de Moisés culminando com o de Cristo, em seguida, mostrou com extrema clareza que os crentes, a igreja e o templo judaico estão intimamente relacionados ao que o Tabernáculo representava. Outra vez, chamo a atenção dos leitores – não se trata da edificação em si, mas aquilo a que estava destinada. E, quando me refiro a edificação, não estou apontando para os detalhes dos materiais, medidas e cores, os quais tem seus respectivos e importantes significados, mas falo do edifício tão somente no aspecto físico.

A ideia central do cristianismo é levar as pessoas ao entendimento de que elas não pertencem a uma igreja no sentido de religião, antes, cada pessoa deve se ver como uma igreja, o organismo vivo. Isso é comprovado no texto bíblico que diz: “Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus.” Ora, ninguém consegue se ver como igreja sem antes aceitar a Cristo como Salvador, desta forma, quem poderia ser templo do Espírito Santo sem ter participado da morte e ressurreição de Jesus? De que forma poderia Deus habitar com alguém que não tem o Filho como senhor?

A construção do Tabernáculo, segundo os critérios de Deus, tinha por fim, conceder ao homem oportunidade de recuperar a comunhão perdida, de restabelecer o laço que foi quebrado e de reatar uma amizade rompida. E, quando o homem chega nesta condição, é praticamente impossível que, ele por si mesmo, se volte para Deus novamente. Nunca nos esquecendo de que é o próprio homem quem estraga seu relacionamento com Deus e que, SEMPRE é o próprio Deus quem busca o homem para estabelecer uma firme aliança consigo.

A figura do Tabernáculo apontava para o desejo que Deus quer alcançar em qualquer pessoa, isto é, a intenção do Senhor não é a de somente habitar no meio do seu povo, Ele prioriza, muito mais, habitar em seu povo.

O Tabernáculo, em si mesmo, nunca expressou a plena realidade. Ele sempre foi um símbolo, uma figura, uma sombra do que será a realidade um dia. Por enquanto, vivemos essa realidade de maneira parcial, mas, haverá um dia em que a viveremos integralmente – “E nela (cidade Santa) não vi templo, porque o seu templo é o Senhor Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro.”

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.