O modelo divino do Tabernáculo.

Êxodo 25: 8-9
E me farão um santuário, e habitarei no meio deles. Conforme tudo o que eu te mostrar para modelo do tabernáculo e para modelo de todos os seus móveis, assim mesmo o fareis.”

Havia uma particularidade na edificação do Tabernáculo que chamava a atenção de qualquer homem, mulher ou criança no meio do arraial judeu. Ele se destacava no meio do acampamento de uma forma imponente e, ao mesmo tempo, atraente. O Tabernáculo, não obstante, estivesse no meio do arraial, porém, não se misturava com as tendas do povo, não era “confundido” como uma tenda comum. Sua arquitetura e cores divisavam das outras tendas. A cerca, em redor da tenda, alertava aos interessados ou curiosos que até ali, nela, era o limite do homem e, todos os que tivessem a pretensão de ultrapassa-la deveriam estar plenamente conscientes dos deveres e responsabilidades assumidos com Deus.

A cerca feita de linho fino retorcido não tinha nenhuma blindagem, no entanto, isso não dava a ninguém o direito de entrar no pátio do Tabernáculo por outro lugar que não fosse a porta. Tendo, por média, a medida do côvado em 45 cm, a altura da cerca girava em torno de 2,2 ou 2,3 metros de altura, as suas dimensões eram, aproximadamente, de 23 metros de frente por 46 de fundos.

A estrutura da cerca consistia de pilares de madeira de acácia. A parte inferior era presa por bases ou placas de bronze, evidentemente deitadas sobre o solo. Estas bases tinham um furo para receber o encaixe que ficava na extremidade inferior de cada coluna. As colunas eram estabilizadas por cordas e pinos, e possuíam ganchos revestidos com prata, e braçadeiras de prata, chamadas de vergas, faixas ou molduras, em volta do istmo. Sobre esta cerca eram penduradas cortinas de “linho fino torcido”, costuradas extremidade com extremidade de modo a formar uma tela contínua desde a porta de entrada, contornando todos os cantos e chegando novamente até à porta. A cortina para a porta ficava no meio da extremidade oriental.

Para espanto de alguns incautos “pregadores” e negligentes professores, a porta do Tabernáculo tinha medida também, era de, aproximadamente, 9 metros de largura e a mesma altura da cerca. Ela ficava no meio da extremidade oriental. Entrava-se no átrio “levantando” esta cortina pela parte de baixo. Esta porta era o único acesso ao átrio.

Embora a entrada no átrio no fosse vedada a ninguém, salvo algumas exceções, o fato de estar no átrio não era garantia de sacrifício aceito e pecado perdoado, ainda tinham mais duas cortinas (portas) a serem ultrapassadas. A presença do pecador no átrio é a demonstração da confissão de culpa, porém, o caso ainda não estava  de todo resolvido.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Dicionário Bíblico Wycliffe

Compartilhar

One thought on “O modelo divino do Tabernáculo.

  • 16 de abril de 2019 em 04:06
    Permalink

    Muito bom gostei

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.