O lugar da habitação de Deus.

Êxodo 29: 45-46
E habitarei no meio dos filhos de Israel e lhes serei por Deus, e saberão que eu sou o SENHOR, seu Deus, que os tenho tirado da terra do Egito, para habitar no meio deles; eu, o SENHOR, seu Deus.”

Toda a estrutura do Tabernáculo deve ser observada, olhando, sempre, de dois pontos. Partindo da porta e indo em direção ate o Santíssimo Lugar, nós temos o caminho que o homem, obrigatoriamente, deve percorrer para se aproximar de Deus, esse caminho é a única rota que existe. Dessa rota não se pode acrescentar atalhos ou excluir práticas, ela é imutável. E, o outro ponto é partindo do Santíssimo Lugar para a porta do pátio, que aponta o caminho que Deus faz para vir ao encontro do pecador. Quando se contempla a grandeza de Deus e a pecaminosidade do homem, certamente é de surpreender que Deus tenha se dignado a habitar com os homens.

Os, aproximados, mil metros quadrados de toda a área do Tabernáculo, incluindo o átrio, era delimitado por uma cerca  construída de tecido – linho fino torcido, na cor branca. Independentemente de onde fosse feita sua armação, a cerca lembrava que toda a área interna do Tabernáculo era um lugar sagrado e, ele deveria ser, em qualquer situação, o centro do acampamento. A brancura do linho fino torcido demonstrava pureza – santidade, e que, mesmo estando em meio a um povo pecador, nenhuma atitude ou pecado de quem quer que fosse, era capaz de macular ou manchar sua pureza.

Assim como Deus traçou as rotas dos rios, delimitou até onde o mar devia quebrar suas ondas e ensinou aos ventos os caminhos que deviam percorrer, a cerca do Tabernáculo não tinha o aspecto de algo intransponível, a sua característica era a de conscientizar as pessoas da necessidade de ingressarem pela porta para resolverem seus problemas com Deus, esse era o caminho exigido por Deus.

A porta, que deveria estar voltada sempre para o oriente, se destacava por suas cores exuberantes, estava acessível o tempo todo, não tinha trancas ou ferrolhos e não havia guardas impedindo o acesso das pessoas, nela, o pecador, dava o passo inicial até o Santo Lugar, e sem esse primeiro passo não havia a mínima possibilidade de prosseguir no trajeto.

A cerca caracterizava o Tabernáculo em si, ela servia para alertar os curiosos de que aquele não era um lugar para turismo ou entretenimento, Sua função principal não era proteger o lugar, mas proteger os desavisados, pois, assim como nos dias de hoje, naquele tempo, também, devia ter uns “crentes” desleixados que pretendiam fazer do Tabernáculo uma extensão de sua própria casa.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Dicionário Bíblico Wycliffe

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.