Jesus, o Cabeça da Igreja.

Efésios 1: 22
E sujeitou todas as coisas a seus pés, e sobre todas as coisas o constituiu como cabeça da igreja

Existe uma divergência quanto a definição do tipo de governo que é exercido na igreja de Cristo. Embora seja uma divergência totalmente compreensiva, pois, a definição vai depender da forma como vemos a igreja – organismo ou organização. E, dentro de uma ótica organizacional o tipo de governo de uma igreja, nos moldes atuais, é democrático, porém, quando olhamos para a igreja como um organismo nenhum outro tipo de governo se encaixa senão o TEOCRÁTICO. Ainda que possamos optar por obedecer ou não uma ordem, esta ordem tem origem em uma pessoa somente.

É evidente que o propósito do Senhor era que houvesse uma sociedade de seus seguidores que comunicasse seu Evangelho aos homens e o representasse no mundo. Mas Ele não estabeleceu um padrão de organização ou plano de governo; não estabeleceu nenhuma regra detalhada de prática. Contudo, Ele ordenou os dois singelos ritos de batismo e comunhão. Ao mesmo tempo, Ele não desprezou a organização, pois sua promessa concernente ao Consolador vindouro deu a entender que os apóstolos seriam guiados em toda a verdade concernente a esses assuntos. O que Jesus fez para a igreja foi algo mais elevado do que organização: Ele lhe concedeu sua própria vida, tornando-a em organismo vivo.

Assim como o corpo vivo se adapta ao meio ambiente, semelhantemente, ao corpo vivo de Cristo foi dada liberdade para selecionar suas próprias formas de organização, segundo suas necessidades e circunstâncias. Naturalmente, a igreja não era livre para seguir nenhuma manifestação contrária aos ensinos de Cristo ou à doutrina apostólica. Qualquer manifestação contrária aos princípios das Escrituras é corrupção.

Quando definimos a igreja de Cristo como sendo o corpo do Senhor, estamos fazendo uma analogia com um corpo físico e, quem controla todo corpo é o cérebro que se encontra em nossa cabeça. Nele origina todas as nossas ações. Quando alguma parte do cérebro se danifica, consequentemente alguma parte do corpo sofrerá o dano que se corresponde à parte afetada no cérebro.

Bom, mas, em se tratando da igreja de Cristo como sendo o próprio corpo do Senhor, o corpo jamais sofrerá alguma avaria proveniente de uma danificação no cérebro, pois Jesus é o cabeça deste corpo e, nEle não se encontra nem jamais se encontrará algo que possa promover alguma avaria no corpo. Ainda que possamos declarar que existam algumas igrejas visivelmente “avariadas”, jamais podemos dizer que o problema está no Cabeça da igreja ou naquele que une – o Espírito Santo, o corpo ao Cabeça.

Como no corpo físico, quando alguns membros sofrem sérias e irreversíveis avarias pelo mau uso do corpo, sem afetar o sistema nervoso e o cérebro, assim é a igreja. Embora alguns membros sejam danificados, tanto o Cabeça como o Espírito Santo tem poder para regenerá-lo e torná-lo útil novamente. Embora possam ficar repletos de marcas e cicatrizes, isso não é impedimento para estarem inseridos no corpo de Cristo, permitindo-se serem usados para a honra e glória de Deus.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.