O auge do Anticristo.

II Tessalonicenses 2: 4
 “O qual se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus”.

O termo “Anticristo” nos sugere duas interpretações – “contrário a” e “no lugar de”, desta forma, compreendemos que Satanás não apenas se opõe a Cristo como, desde o princípio, deseja e busca incessantemente ser adorado e obedecido no lugar de Cristo. Desde a Eternidade (Céu) Satanás tem desejado ser adorado e servido como Deus – “Subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo”. Tal intenção de Satanás se concretizará na pessoa do Anticristo que, por um determinado tempo receberá adoração e encontrará aqueles que o servirão fielmente, mas tudo por um determinado espaço de tempo.

Querer determinar cronologias e datas para as coisas que estão por vir sobre a humanidade, digo em relação às doutrinas bíblicas escatológicas, é o mesmo que dizer que se sabe a extensão do universo; é o mesmo que afirmar quantos grãos de areia há num deserto; é o mesmo que encerrar o oceano em um pequeno balde; enfim, a escatologia é assunto baseado predominantemente no raciocínio abstrato, embora a Bíblia nos forneça abundantes informações sobre as características do fim dos tempos, em lugar algum da Sagrada Escritura, encontramos afirmações concretas sobre a cronologia e data dos fatos. Os dois maiores segmentos teológicos encontram fundamentos bíblicos suficientes para sustentarem os seus ensinos, contudo, como pentecostal que sou, sou constrangido (no bom sentido da palavra) a seguir o ensino arminianista, pois é o que mais se aproxima das VERDADES BÍBLICAS.

Quanto aos acontecimentos não há, e tem que ser assim, um consenso entre os estudiosos da Palavra de Deus sobre todos os fatos, todavia, quanto ao caráter do Anticristo, quanto ao tipo de pessoa que será naquilo que se aplica as questões morais, intelectuais e espirituais, há, entre a grande maioria, uma mesma opinião, aliás, não digo opinião, mas, a mais exata interpretação do que nos relata a Palavra de Deus.

O Anticristo será um grande pacificador. Na história da humanidade, jamais houve um homem que conseguiu promover a “paz”, no âmbito mundial, como ele conseguirá. Muitos estudiosos da Palavra de Deus afirmam que o Anticristo se levantará na Europa. Convergirá dez nações européias em um único bloco político poderosíssimo – “E os dez chifres que viste são dez reis, que ainda não receberam o reino, mas receberão o poder como reis por uma hora, juntamente com a besta. Estes têm um mesmo intento e entregarão o seu poder e autoridade à besta”, o Anticristo a frente deste bloco sairá a conquistar o mundo “pacificamente”, pois, como lemos no capítulo seis de Apocalipse, ele tem um arco em sua mão mas não tem flechas, isso nos faz entender que ele dominará sobre o mundo pela imposição da demonstração de poder destrutivo que o acompanha. A pacificação que ele promoverá, será mais em vista do evidente poder que o acompanha do que carisma. O carisma será apenas um artificio para atrair as nações.

As revelações do Apocalipse com as predições de Daniel, nos fornecem detalhes minuciosos (mas, nenhum que nos forneça datas e cronologias) acerca da manifestação do Anticristo. Os cálculos que os estudiosos fazem a respeito das setenta semanas de Daniel, se encaixam com perfeição sobre o desenrolar da história e, assim, estamos vivendo o intervalo entre a 69ª e 70ª semana. Quando o Anticristo se revelar publicamente, então se dará início à 70ª semana e nos encaminharemos para o fim de todas as coisas.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Comentário Bíblico Expositivo do Novo Testamento – Warren W. Wiersbe

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.