A predestinação não é dupla, pois ela diz respeito apenas às dádivas da salvação.

Romanos 8: 28
 “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por seu decreto”.

Sabemos, cremos com convicção e aceitamos que aos seres humanos, o Senhor concedeu o livre-arbítrio, e nessa liberdade de escolha que se aplica a todas as coisas, nosso Deus não interfere desde que as escolhas não confrontem Seus desígnios. Ora! Como fica o nosso livre-arbítrio diante daquilo que foi decretado por Deus?

Devemos entender que os decretos de Deus não implicam no agir direto e pessoal de Deus nos eventos que hão de acontecer, mas numa garantida de os eventos ocorrerão de fato. Por exemplo, Deus decretou antes da fundação do mundo que Jesus voltará para buscar Sua igreja, e isso acontecerá independente da vontade do homem. Sendo assim, o decreto divino foi expedido antes da criação e o seu cumprimento se dará sem que haja a necessidade de Deus agir. É nesse sentido que o Senhor declara que quando Ele opera ninguém pode se opor ou impedir que aquilo que Ele falou se concretize. E, naquilo que se aplica a salvação do homem, o desejo do Senhor é que todos se salvem, em momento algum Ele diz que vai salvar as pessoas que não entendem que precisam ser salvas.

Embora sejamos livres para escolher o que desejarmos, isso não pode ser compreendido que podemos fazer o que bem entendermos, não é bem assim. O nosso livre-arbítrio se limita a escolher entre aceitar ou rejeitar tudo quanto Deus nos oferece, sejam Suas bênçãos, conselhos ou salvação. O nosso livre-arbítrio é regulamentado pelas Leis Divina e quanto mais familiarizados estivermos com elas, mais seguros poderemos estar do que um “agente livre” fará em certas circunstâncias.

A predestinação, conforme cremos e como está escrito na Bíblia de Estudo Pentecostal, significa “decidir de antemão” e se aplica aos propósitos de Deus que estão incluídos na salvação. Em Cristo Jesus, Deus escolhe um povo para Si mesmo, este povo é a igreja de Cristo na Nova Aliança, e a predestinação abrange o que acontecerá ao povo de Deus.

No tocante à eleição e predestinação, podemos aplicar a analogia de um grande navio viajando para o céu. Deus escolhe o navio (a igreja) para ser sua própria nau. Cristo é o Capitão e Piloto desse navio. Todos os que desejam estar nesse navio eleito, podem fazê-lo mediante a fé viva em Cristo. Enquanto permanecerem no navio, acompanhando seu Capitão, estarão entre os eleitos. Caso alguém abandone o navio e o seu Capitão, deixará de ser um dos eleitos. A predestinação concerne ao destino do navio e ao que Deus preparou para quem nele permanece. Deus convida todos a entrar a bordo do navio eleito mediante Jesus Cristo.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Teologia Sistemática – Louis Berkhof
– Bíblia de Estudo Pentecostal (pag  1808 e 1809)

Compartilhar

2 thoughts on “A predestinação não é dupla, pois ela diz respeito apenas às dádivas da salvação.

  • 11 de março de 2021 em 17:20
    Permalink

    De acordo com essa analogia do Navio – Obedecer ao capitão e permanecer no navio significa ser salvo e Pular fora do navio seria o “perder” a salvação? Na nova aliança?

    Resposta
    • 11 de março de 2021 em 19:11
      Permalink

      Graça e Paz nobre Ismael.
      No comentário a analogia se aplica a Cristo como o Capitão e o Navio é a igreja fiel, a que vai ser arrebatada.
      Dentro do meu entendimento, não há outro meio de chegar ao céu senão por Jesus Cristo e sendo parte integrante do Seu corpo (navio).
      Deus te abençoe.

      Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.