Despertando para a peleja.

Isaías 51: 9
 “Desperta, desperta, veste-te de força, ó braço do Senhor; desperta como nos dias passados, como nas gerações antigas; não és tu aquele que cortou em pedaços a Raabe e feriu o dragão?”

Contextualmente esse versículo, das profecias de Isaías, está inserido numa situação onde, após Israel ouvir tudo o que o Senhor tinha realizado por eles desde o chamado de Abraão, eles (Israel) padecendo no cativeiro clamam ao Senhor insinuando que o Senhor estivesse dormindo ou desatento ao que eles estavam passando. Uma situação semelhante viveram os discípulos de Jesus quando se viram em aperto na tempestade – “Acorda! O Senhor não está se dando conta de que vamos perecer? Socorre-nos!”.

Aplicando o versículo, fora do seu contexto, no assunto proposto para o trimestre, o qual fala do avivamento da igreja, bem como do crente individualmente, ele serve para ratificar o que temos falado constantemente nas salas de EBDs – avivamento espiritual não se limita àquele breve momento de euforia nos cultos ou reuniões. Avivamento espiritual é quando o crente é despertado espiritualmente para buscar uma maior aproximação com Deus. Avivamento espiritual seria, numa grotesca analogia, uma “prova de títulos” que concede ao crente aptidão para realizar suas tarefas como servo de Deus. Entende o que queremos dizer? Não estamos falando de dons do Espírito Santo, mas capacidade para exercitar os dons.

Precisamos estar avivados constantemente porque, infelizmente, temos a extrema facilidade de nos conformar com as situações que o mundo frequentemente nos apresenta e, ainda que muitos cristãos assimilem os acontecimentos como sendo consequência de um mundo moderno, devemos estar despertos para a verdadeira origem dos acontecimentos. O diabo sempre usou o mundo e seus sistemas para atacar tudo o que diz respeito a Deus, seu povo Israel e, agora, sua igreja. No início tentou desmoralizar o próprio Deus diante de Adão e Eva; depois, tentou exterminar os hebreus no Egito; no cativeiro em Babilônia; e sobre o duro e inflexível governo de Roma; por fim, tentou dizimar com os crentes condenando-os às mais terríveis mortes. O que mais enfurece o diabo contra os crentes é quando ele se depara com um crente avivado; um crente que pensa como Paulo – “Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro”.

O avivamento serve como um estabilizador na vida do crente. Um crente avivado espiritualmente não fica oscilando na fé. Ele está estabilizado em suas convicções, diga-se de passagem, que são convicções fundamentadas nas sãs doutrinas bíblicas. Muitas vezes já ouvimos em pregações e, é até letra de uma música, que o crente é tal qual uma palmeira enverga vai até ao chão, mas não quebra e quando passa a tormenta ele volta para a sua posição. Em partes acredito que seja assim mesmo, mas não com todo e qualquer crente, isso só é possível com o crente avivado espiritualmente.

O avivamento espiritual é como um tônico para nossas vidas, ele nos dá vigor para enfrentarmos tudo com a cabeça erguida.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.