Os espíritos maus são enganadores.

II Tessalonicenses 2: 1-3(a); 7; 9 e 15
Ora, irmãos, rogamo-vos, pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, e pela nossa reunião com Ele, que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o dia de Cristo estivesse já perto. Ninguém de maneira alguma vos engane … Porque já o mistério da injustiça opera … A esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira … Então, irmãos, estai firmes e retende as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por epístola nossa”.

Anteriormente já havíamos escrito que uma igreja é muito mais saudável quando seus membros estão capacitados para discernir os espíritos. Sim! Muito mais que profetizar ou falar em línguas estranhas, o discernimento dos espíritos torna uma igreja mais solidificada na sã doutrina da Palavra de Deus. Todavia é necessário que alguns erros doutrinários sejam corrigidos acerca do que significa o dom de discernimento dos espíritos.

De tudo quanto vamos expor doravante, não temos a intenção de esgotar o assunto e, muito menos, impor nossa “opinião” como taxativa, tão somente queremos levar ao leitor, uma definição que mais se aproxima das doutrinas bíblicas.

O discernimento dos espíritos é a capacidade especial para julgar profecias e enunciações proféticas. Julgar em que sentido? No sentido de verificar se tais profecias e enunciações provem do Espírito de Deus. Não podemos dar crédito a toda e qualquer manifestação dentro da igreja. Não podemos agir como meninos e imaginar que todo fenômeno que acontece dentro da igreja é proveniente do Espírito de Deus. O discernimento é imprescindível para buscarmos com mais zelo pelos dons do Espírito, ele é imprescindível para que não façamos confusão com as coisas que acontecem nos cultos – barulho com louvor; entusiasmo com vida consagrada; emocionalismo com quebrantamento e, principalmente, não podemos confundir manifestações estereotipadas com intima comunhão com Deus.

O discernimento dos espíritos nos capacita de forma sobrenatural a fim de podermos detectar o domínio dos espíritos e suas atividades num determinado momento. Implica o poder do discernimento espiritual, nos dar a revelação sobrenatural dos planos e propósitos do inimigo e suas forças.

Outra forma de entender o que é o discernimento dos espíritos, é saber o que ele não é, como por exemplo: o discernimento dos espíritos não é habilidade para descobrir falha dos outros; também não é leitura ou adivinhação de pensamentos, bem como não tem nenhuma (absolutamente nenhuma) correlação com a psicologia – “Amados, não creiais em todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo. Nisto conhecereis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que está já no mundo”.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– O Dom, os dons e o fruto do Espírito – Guilhermino Cunha.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.