Deus não tem compromisso com os injustos.

Jeremias 20: 14-18
 “Maldito o dia em que nasci; o dia em que minha mãe me deu à luz não seja bendito. Maldito o homem que deu as novas a meu pai, dizendo: Nasceu-te um filho; alegrando-o com isso grandemente. E seja esse homem como as cidades que o Senhor destruiu sem que se arrependesse; e ouça ele clamor pela manhã e, ao tempo do meio-dia, um alarido. Por que não me matou desde a madre? Ou minha mãe não foi minha sepultura? Ou não ficou grávida perpetuamente? Por que saí da madre para ver trabalho e tristeza e para que se consumam os meus dias na confusão?”

O que tem faltado nos púlpitos de muitas igrejas atualmente é uma mensagem sustentada na verdade bíblica. Não que os que estão discursando não conheçam essa verdade (claro que em alguns casos esse é o ponto chave), mas a omitem para não mancharem a reputação que demoraram alcançar. Talvez esses pregadores não saibam, mas a omissão é tão grave e nos torna tão indesculpáveis quanto qualquer pecado. Quando se omite uma verdade, nós limitamos a atitude de alguém, porém, do contrário, quando anunciamos a verdade claramente, incitamos as pessoas a agirem com mais ímpeto.

Os ensinos contidos em toda a extensão do livro de Jó, acerca do sofrimento humano, são de extrema importância para nós. São ensinos que nos auxiliarão na nossa jornada por essa vida a fim de que estejamos cada vez alicerçados na fé, pois existe um enorme distancia entre conhecer a Bíblia de capa a capa e crer em tudo quanto ela nos fala.

Existem questões na Bíblia Sagrada que jamais serão respondidas, acredito que nem no Céu elas serão sanadas. São situações ou acontecimentos que dizem respeito exclusivamente á Soberania de Deus. Por exemplo, a vida de Jó (o tema deste trimestre) com suas perdas e seu sofrimento foi um acontecimento sem nenhuma razão aparente (é totalmente incompreensível dentro da lógica humana). Realmente, é totalmente incompreensível como um Deus benigno em dado momento declara abertamente que um homem é possuidor de um caráter ilibado e logo a seguir permite que seja afligido com as mais terríveis aflições que, segundo alguns estudiosos (a Bíblia se cala a respeito disso), não durou mais que seis meses. Esta citação tem como objetivo mostrar que Deus não demorou em agir. Embora para Jó a duração da sua situação parecesse uma eternidade para o Senhor demorou uma “piscada de olho”.

O ensino que queremos transmitir com esse comentário é o de estarmos alicerçados, estribados, convictos de que o nosso Deus jamais se esquecerá do compromisso que firmou conosco. Devemos crer que Deus a tudo está atento e em momento algum podemos acreditar de que fomos abandonados à própria sorte. Claro que isso não se aplica a todas as pessoas, nosso Deus só tem compromisso com aqueles que se submetem ao Seu senhorio. Com aqueles que andam retamente em Sua presença honrando e glorificando o Seu Nome em toda e qualquer circunstancia.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.