A tragédia se abateu sobre Jó – Primeiro anúncio.

Jó 1: 13-15
 “E sucedeu um dia, em que seus filhos e suas filhas comiam e bebiam vinho na casa de seu irmão primogênito, que veio um mensageiro a Jó e lhe disse: Os bois lavravam, e as jumentas pasciam junto a eles; e eis que deram sobre eles os sabeus, e os tomaram, e aos moços feriram ao fio da espada; e eu somente escapei, para te trazer a nova”.

Em todo o drama de Jó devemos atentar para a forma como se desencadeou toda a tragédia. A forma como a Bíblia fala dele – “Era maior do que todos os do oriente”, nos induz a pensar que Jó não somente era rico, popular, respeitado e honrado, mas, também, era temido. Dentre a “muitíssima gente” que vivia sob seus cuidados, sem duvida alguma, havia entre essa gente guerreiros valentes. Sendo assim, a única forma de suplantar Jó e seu “pequeno exército” era surpreendê-los num momento de descontração.

Em todo momento devemos estar cientes de que, independentemente de quem quer que seja, quando se está em proeminência, seremos alvos de investidas dos que, por inveja, permanecem calados e quietos até que uma oportunidade se apresenta a fim de que sermos derribados do nosso lugar. Coloque-se no lugar de Jó. Já falamos e tornaremos a repetir que Jó não tinha a menor ideia do que estava ocorrendo no mundo espiritual. E, nem por isso, ele amaldiçoou os povos que saquearam e mataram sua gente, embora, sem exagero ou devaneios, não podemos descartar a possibilidade de que esses povos se sentiam desconfortáveis diante da posição que Jó ocupava na sociedade.

 Não houve um prenúncio de que uma tragédia estava por se abater sobre Jó e sua família. Nem Jó, nem nenhum de seus familiares ou servidores, deram motivos para sofrerem investidas tão cruentas daqueles povos. Povos que segundo os registros da história, alguns deles, como os sabeus, eram nômades e aparentemente pacíficos.
 “Os sabeus eram um povo semita que, em data desconhecida, entraram na Arábia meridional vindos do norte e fundaram o Reino de Sabá no território do atual Iêmen. A civilização dos sabeus principiou entre os séculos XII e X a.C. e seus governantes são mencionados nas crônicas assírias de fins do século VIII e início do século VII a.C.. Os sabeus deixaram uma expressiva quantidade de inscrições que cobrem cerca de 1300 anos de sua história e só terminam com a extinção do reino, no século VI. Todavia, as informações contidas nestas inscrições não permitem traçar uma ideia precisa do que foi a sociedade dos sabeus e deixam margem para muitas dúvidas”.

Satanás quando entra em cena, ele o faz de maneira que, até os que convivem de forma harmoniosa, ou que, pelo menos, se suportem cordialmente, se veem em situações onde a animosidade esteja aberta e declarada. Jamais poderíamos imaginar que alguém como Jó, coberto de todas as virtudes testemunhadas pelo Senhor, pudesse ter inimigos, mas como dissemos, basta estar em evidência que imediatamente nos tornamos alvo de investidas.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– https://pt.wikipedia.org/wiki/Sabeus

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.