O ensino da Palavra acompanha a evangelização.

Mateus 4: 23
 “E percorria Jesus toda a Galileia, ensinando nas suas sinagogas, e pregando o evangelho do Reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo”.

Por algumas vezes eu presenciei alguns pregadores que não tinham concluído o ensino médio, mas que queriam convencer a igreja que dominavam o hebraico e o grego. E, a minha critica não é no sentido de denegrir a imagem deles, mas para o caso de algum deles lerem isso, despertarem para a realidade e a seriedade que é a obra de Deus. Não estou dizendo que eles não podem aprender o grego e o hebraico, mas como aprender outra língua se não há domínio do próprio Português? É o mesmo que aprender Física sem ter aprendido as quatro operações básicas da Matemática.

O discipulado, além de ser algo inerente à Grande Comissão, é a base sólida para a edificação de uma vida espiritual bem estruturada nas sãs doutrinas da Palavra de Deus. Muitos dos desviados que encontramos pelas ruas das cidades, são pessoas que por algum tempo estiveram nas igrejas, mas que, por falta de um cuidadoso acompanhamento se desviaram da verdade. Evidentemente, que a culpa, nesses casos, nem sempre é das lideranças das igrejas, pois, em alguns casos, foram as próprias pessoas que optaram pelo caminho da perdição mesmo recebendo o ensino necessário para o seu desenvolvimento espiritual. Quando o Senhor disse que seu povo perece por falta de conhecimento, devemos ver essa declaração sob dois ângulos: primeiro – em alguns casos são as pessoas que não querem aprender e, isso é constatado pela frequência na EBD; e, segundo – em outros casos são os ensinadores que não estão ensinando o que é preciso ensinar.

O novo convertido é como uma criança recém-nascida e, como tal, todo cuidado e esmero no trato, na “alimentação” e na vigilância com os “primeiros passos” devem ser dispensados, até que ele consiga caminhar com os próprios pés. O discipulado não é um curso onde o novo convertido aprende a ser membro da igreja, antes, o é com o discipulado que o novo convertido é instruído acerca dos verdadeiros valores do Evangelho e das sãs doutrinas bíblicas. É no discipulado que o novo convertido vai aprender que Jesus Cristo não pode ser apenas o Salvador do homem, Ele tem que ser o Senhor também.

O novo convertido (tal qual um recém-nascido) é carente de alimentação que condiz com a sua estrutura e, como nos cultos públicos, ou nos cultos de doutrinas, ou nas EBDs, fica praticamente impossível ministrar um ensino especificamente para eles, essa alimentação especial é ministrada nas aulas de discipulado. O novo convertido jamais deve ser deixado “a vontade” na igreja, ele precisa e tem que ser amparado nessa primeira fase da nova vida.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.