Estamos esperando a vinda de Jesus.

I Coríntios 1: 8
 “O qual vos confirmará também até ao fim, para serdes irrepreensíveis no Dia de nosso Senhor Jesus Cristo”.

Paulo não escreveu essa carta exclusivamente aos crentes de Corinto, no versículo dois deste mesmo capítulo ele diz o seguinte: “à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados santos, com todos os que em todo lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso”, ou seja, embora a carta tivesse endereçada àquela igreja, todavia, como podemos confirmar pelo versículo citado, que ela é extensiva e própria a todos os crentes de todas as épocas. Afinal de contas, as mesmas exigências requeridas daquela igreja são pertinentes a qualquer igreja, de qualquer tempo, independente das circunstancias que elas estejam vivendo.

A sensação que temos é a de que as pessoas (crentes) não entenderam corretamente o que é arrebatamento e, em decorrência disso, ignoram quem será arrebatado. O arrebatamento é para, exclusivamente, os salvos em Jesus Cristo. Nesse evento estão de fora incrédulos, infiéis, e religiosos. Mas alguém pode perguntar: quem são essas pessoas e onde estão? A resposta é óbvia – tais pessoas estão dentro das igrejas, aliás, sempre estiveram dentro das igrejas, contudo, a conduta delas diante do mundo não condizia com o que professavam.

Às vezes, parece-nos desnecessário falar de um assunto como esse para crentes, contudo, ele é muito pertinente para o cenário que estamos contemplando nestes últimos tempos. As igrejas de hoje (sem generalizar), quando analisadas à luz da Escritura Sagrada, estão muito aquém daquilo que se exige. Obviamente estamos falando dos aspectos espirituais. É trágico constatarmos que o padrão espiritual de algumas igrejas não dá a elas condições de promover nenhuma mudança no meio em que estão inseridas, muito pelo contrário, tais igrejas se conformaram com o meio onde estão e para manter sua atividade no local submetem-se as regras e costumes do lugar.

Uma igreja para ser vista como operosa, necessariamente não ter que ser um suntuoso templo com fachadas espelhadas ou ambiente climatizado, ela precisa, tão somente, que os seus membros sejam e vivam de acordo com aquilo que a Bíblia requer de um crente verdadeiro. Uma igreja que anuncie o Reino de Deus, pregando, ensinando e vivendo como se já estivesse vivendo neste Reino.

Neste mundo, somos meros peregrinos, nada mais. Não somos daqui. Não pertencemos a este mundo e, se não pertencemos a ele, é fato que ele nos odeia ainda que nos suporte. Mas, é nesse ponto que Paulo quer chegar, o mundo odeia os que são crentes de fato e não somente os que são membros de igrejas e, que o arrebatamento diz respeito somente àqueles que têm a vida submetida ao governo do Espírito Santo e que testemunham, com uma vida prática, o Evangelho do Reino.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.