Deus não compactua com os orgulhosos.

Tiago 4: 6
 “Antes, dá maior graça. Portanto, diz: Deus resiste aos soberbos, dá, porém, graça aos humildes”.

Jamais devemos nos esquecer o quanto Deus aborrece o orgulho. O orgulho em nossas vidas faz Deus rejeitar nossas orações e reter sua presença e graça para conosco. O exaltado em si mesmo, que busca a honra e a estima dos outros a fim de satisfazer o seu orgulho, afasta de si a ajuda de Deus. Mas para aqueles que com humildade se chegam a Deus, Ele lhes dá abundância de graça, de misericórdia e de ajuda em todas as situações da vida, pois, devido ao egocentrismo inato do homem caído, o mundo não tem em alta estima a humildade e a modéstia. A Bíblia, no entanto, com seu conceito teocêntrico do homem e da salvação, atribui máxima importância à humildade.

A humildade bíblica implica em termos consciência das nossas fraquezas e limitações e a certeza de atribuir de imediato todo crédito Deus e ao próximo, por aquilo que realizamos. Assim, devemos ser humildes porque somos simples criaturas; somos pecaminosos à parte de Cristo e não podemos nos orgulhar de nada – “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e, com efeito, o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem” – a não ser no Senhor – “Aquele, porém, que se gloria, glorie-se no Senhor”. Logo, dependemos de Deus para o nosso desenvolvimento pessoal e para nossa frutificação, e não podemos realizar nada de valor permanente sem a ajuda de Deus.

A presença de Deus acompanha aqueles que andam em humildade – “Ele te declarou, ó homem, o que é bom; e que é o que o Senhor pede de ti, senão que pratiques a justiça, e ames a beneficência, e andes humildemente com o teu Deus?”. Maior graça é dada aos humildes, mas Deus resiste aos soberbos. Os mais zelosos filhos de Deus servem “ao Senhor com toda a humildade”. Como crentes, devemos viver em humildade uns para com os outros, considerando-os superiores a nós mesmos.

O oposto da humildade é a soberba, um senso exagerado da importância e da autoestima da pessoa que confia no seu próprio mérito, superioridade e realizações. A tendência inevitável da natureza humana e do mundo é sempre à soberba, e não à humildade – “Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti”.

O orgulho, se não for combatido, tem o poder de arruinar uma igreja, por outro lado, a verdadeira humildade pode edificá-la. Ser humilde inclui possuirmos uma perspectiva real a respeito de nós mesmos. Perante o Senhor somos todos pecadores, salvos somente pela sua graça; portanto, temos grande valor no Reino de Deus. Devemos colocar de lado o egoísmo e tratar nossos semelhantes com respeito e cortesia. Considerar os interesses dos outros como mais importantes do que os nossos estreitará nossa ligação com Cristo, que foi o verdadeiro exemplo de humildade.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal
– Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.