O Senhor prometeu estar com os seus até o fim dos tempos.

Mateus 28: 19-20
 “Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos. Amém!”

Algumas pessoas acusam os teólogos de terem inventado o conceito da Trindade e forçado a sua interpretação a partir das Escrituras. Mas, como podemos ver aqui, o próprio Senhor Jesus Cristo não disse para batizar “nos nomes”, mas em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. A palavra “Trindade” não aparece nas Escrituras, mas descreve muito bem a natureza tríplice de Deus que, sendo um, subsiste na pessoa do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Mas, o foco deste comentário é a promessa que Jesus fez aos discípulos, não somente aos doze, mas a todos os que, no decorrer da história da humanidade, se tornasse um – “Estou convosco todos os dias”.

De que maneira Jesus está conosco? Isso se explica pela fé e, de uma forma simples de entender, sabemos que Jesus esteve fisicamente com os discípulos até ascender aos céus; a partir de então, Ele se faz presente por intermédio do Espírito Santo e, como dissemos acima, isso é uma questão de fé. Não o vemos com os olhos físicos, mas o percebemos juntos a nós; não o sentimos fisicamente, mas o nosso coração “arde” quando Ele nos toca ou pela boca dos profetas fala conosco. O Espirito foi enviado em cumprimento à promessa de Jesus, que disse que jamais deixaria órfãos os seus discípulos. Portanto, Jesus permanece espiritualmente conosco.

As profecias do Antigo Testamento e a genealogia no livro de Mateus demonstram as credenciais de Jesus como o Rei dos reis, não como um líder político ou religioso em Israel, como os discípulos inicialmente esperavam Jesus reina espiritualmente; pode vencer todo o mal e governar o coração de cada pessoa. O rei Ezequias está incluído na genealogia de Jesus descrita em Mateus e, como vemos, o Senhor sempre esteve presente no dia-a-dia do homem.

Ezequias foi um dos poucos reis de Judá que esteve constantemente ciente dos atos de Deus no passado e de seu interesse nos eventos do dia-a-dia. A Bíblia o descreve como um rei que teve um íntimo relacionamento com Deus. Como um reformador, Ezequias estava mais preocupado com a obediência no presente. Judá estava cheia de lembranças visuais da falta de confiança do povo em Deus, e Ezequias corajosamente limpou a casa. Altares, ídolos e templos pagãos foram destruídos. Até mesmo a serpente de bronze que Moisés havia feito no deserto não foi poupada porque esta havia parado de direcionar o povo a Deus e se tornado também um ídolo. O Templo em Jerusalém, cujas portas haviam sido lacradas pelo próprio pai de Ezequias, foi totalmente limpo e reaberto. A Páscoa foi restituída como um feriado nacional, e houve um reavivamento em Judá.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.