A Bíblia enfatiza que a idolatria deve ser abandonada.

Levítico 26: 1
 “Não fareis para vós ídolos, nem vos levantareis imagem de escultura nem estátua, nem poreis figura de pedra na vossa terra, para inclinar-vos a ela; porque eu sou o Senhor, vosso Deus”.

A idolatria é um pecado que o povo de Deus, através da sua história, tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, vem cometendo repetidamente. O primeiro caso registrado ocorreu na família de Jacó (Israel). Pouco antes de chegar a Betel, Jacó ordenou a remoção de imagens de deuses estranhos. O primeiro caso registrado na Bíblia em que Israel, de modo global, envolveu-se com idolatria foi na adoração do bezerro de ouro, enquanto Moisés estava no monte Sinai. Na história do reino dividido, todos os reis do Reino do Norte (Israel) foram idólatras, bem como muitos dos reis do Reino do Sul (Judá). Somente depois do exílio, é que cessou o culto idólatra entre os judeus.

Por que a idolatria sempre foi algo fascinante aos homens? Podemos apontar algumas razões, tais como: No Antigo Testamento, as nações pagãs que circundavam Israel criam que a adoração a vários deuses era superior à adoração a um único Deus, ou seja, quanto mais deuses, melhor; o povo de Deus sofria influência dessas nações e constantemente as imitava, ao invés de obedecer ao mandamento de Deus, no sentido de se manter “santo” e separado delas.

Outra razão para a idolatria causar tanto fascínio nos homens é o fato de que os falsos deuses não requerem o tipo de obediência que o Deus Verdadeiro requer dos Seus adoradores. Por exemplo, muitas das religiões pagãs, citadas na Bíblia, incluíam imoralidade sexual religiosa no seu culto, tendo para isso prostitutas cultuais. Essa prática, sem dúvida, atraía muitos em Israel. Deus, por sua vez, requer que o seu povo obedeça aos altos padrões morais da Sua Lei, sem o que, não há comunhão com Ele.

A Bíblia deixa claro que o ídolo em si, nada é. O ídolo é meramente um pedaço de madeira ou de pedra, esculpido por mãos humanas, que nenhum poder tem em si mesmo. Samuel chama os ídolos de “vaidades” – “E não vos desvieis; pois seguiríeis as vaidades, que nada aproveitam e tampouco vos livrarão, porque vaidades são”, e Paulo declara expressamente: “sabemos que o ídolo nada é no mundo” – “Assim que, quanto ao comer das coisas sacrificadas aos ídolos, sabemos que o ídolo nada é no mundo e que não há outro Deus, senão um só”.

Por fim, a Bíblia nos ensina que por trás de toda idolatria, há demônios, que são seres sobrenaturais controlados pelo diabo. Paulo diz na sua primeira carta aos coríntios a respeito de comer carne sacrificada aos ídolos – “Antes, digo que as coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios e não a Deus. E não quero que sejais participantes com os demônios”.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal (pág.  446, extraído e adaptado)

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.