A Igreja perseverando com alegria.

Atos 5: 41- Tiago 1: 2 – I Pedro 4: 13
 “Retiraram-se, pois, da presença do conselho, regozijando-se de terem sido julgados dignos de padecer afronta pelo nome de JesusMeus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentaçõesmas alegrai-vos no fato de serdes participantes das aflições de Cristo, para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e alegreis”.

A Bíblia, em página alguma, na extensão dos seus 66 livros, atesta que a fidelidade a Deus é garantia de que o crente não passará por aflições, dores e sofrimentos nesta vida. Tomemos como exemplo a vida de Paulo, homem fidelíssimo ao seu ministério e ao Senhor Jesus, mesmo assim, Deus não lhe proveu um caminho fácil e livre de problemas. Na realidade, Jesus ensinou que tais coisas poderão acontecer ao crente. Os seus fiéis seguidores, em algumas situações, serão privados de privilégios e vantagens, e serão ridicularizados; terão grande tristeza ao verem o cristianismo bíblico rejeitado pela maioria. Além de Paulo, a Bíblia contém outros exemplos de santos que passaram por grandes sofrimentos, por diversas razões, como por exemplo: José, Davi, Jó e Jeremias.

Dos muitos questionamentos que levamos até o Senhor, ficamos sem resposta para a maioria porque fazemos a pergunta errada pra o nosso Deus. No caso do sofrimento, por exemplo, em vez de perguntarmos para que estamos sofrendo, nós queremos saber porque estamos nesta situação. Embora Deus possa explicar a razão do nosso sofrimento, contudo, Ele não tem nenhuma obrigação de fazer isso, pois já estamos cientes de que para todo o propósito de Deus há um tempo determinado. Para todo aperfeiçoamento há processo e, às vezes, o processo é doloroso. A pepita de ouro no seu estado bruto, embora seja valiosa, contudo, não possui nenhuma beleza. Para tornar-se uma joia de altíssimo valor e atraente aos olhos tem que passar pelo fogo e, fogo em alta temperatura.

Entrementes, há certos crentes que sofrem pela mesma razão que os descrentes sofrem, ou seja, consequência de seus próprios atos. A lei bíblica da semeadura – “Tudo o que o homem semear, isso também ceifará” aplica-se a todos de modo geral. Se guiarmos com imprudência o nosso automóvel, poderemos sofrer graves danos. Se não formos comedidos em nossos hábitos alimentares, certamente vamos ter graves problemas de saúde. É nosso dever sempre proceder com sabedoria e de acordo com a Palavra de Deus e evitar tudo o que nos privaria do cuidado providente de Deus.

O crente também sofre, pelo menos no seu espírito, por habitar num mundo pecaminoso e corrompido. Por toda parte ao nosso redor estão os efeitos do pecado. Sentimos aflição e angústia ao vermos o domínio da iniquidade sobre tantas vidas. É nosso dever orar a Deus para que Ele suplante vitoriosamente o poder do pecado. Os que amam ao Senhor Jesus e seguem os seus princípios de verdade e retidão, serão perseguidos por causa da sua fé. Evidentemente, esse sofrimento por causa da justiça pode ser uma indicação da nossa fiel devoção a Cristo.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia de Estudo Pentecostal.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.