Os lábios amistosos podem ocultar um coração mal.

Provérbios 26:23-28
 “Como o caco coberto de escórias de prata, assim são os lábios ardentes e o coração maligno. Aquele que aborrece dissimula com os seus lábios, mas no seu interior encobre o engano. Quando te suplicar com a sua voz, não te fies nele, porque sete abominações há no seu coração. Ainda que o seu ódio se encobre com engano, a sua malícia se descobrirá na congregação. O que faz uma cova nela cairá; e o que revolve a pedra, esta sobre ele rolará. A língua falsa aborrece aquele a quem ela tem maravilhado, e a boca lisonjeira opera a ruína”.

Numa perspectiva generalizada, o que realmente motiva uma pessoa a praticar boas ações? Claro que as razões não são as mesmas para todas as pessoas, mas, infelizmente, a grande maioria visa serem notadas e apontadas pela sociedade. Não estamos dizendo que o que algumas pessoas fazem e postam nas redes sociais, não são atitudes dignas de considerações, porém o que queremos que as pessoas entendam é que quando praticamos alguma boa ação com a intenção de “sermos nós” prestigiados e honrados, diante de Deus elas não tem valor algum. Estão dando uma interpretação equivocada sobre o discurso que Jesus fez.

O discurso proferido por Jesus, descrito no Evangelho conforme Mateus escreveu, no seu capítulo 25 (v 31ss) não se aplica as boas obras realizadas no dia a dia. Ali o Senhor Jesus fala do julgamento das nações e, não de boas ações que são deveres de todo e qualquer ser humano, quanto mais quando se é crente. Voltamos a salientar que não estamos insinuando que não seja necessário o exercício de boas obras por parte dos crentes, mas que quando forem realizadas, que sejam realizadas por motivos sinceros e honestos onde o nome a ser glorificado seja o do nosso Deus.

Provérbios é um livro de sabedoria prática. Ensina que a religião está ligada aos problemas comuns da vida. No livro de Provérbios nos deparamos com assuntos que tratam de moral, de bom senso e de boas maneiras. Os provérbios revelam a sabedoria dos antigos mestres israelitas sobre o que a pessoa sábia deve fazer em certas situações. Alguns provérbios são a respeito das relações de família; outros, sobre o comportamento nos negócios. Alguns tratam de boa educação nas relações sociais; e outros, da necessidade de a pessoa saber se controlar. Entre outras coisas, eles ensinam a humildade, a paciência, o respeito pelos pobres e a lealdade para com os amigos.

Especificamente no capítulo 26, o assunto em questão a maneira hipócrita de agir que o ser humano, às vezes, estabelece como padrão para seu modo de viver. O escritor, então, fala do verniz. Ele diz que o verniz é incapaz de alterar o material que ele cobre, ou seja, ainda que sua aplicação, sobre outro material, seja com o propósito de melhorar ou proteger o que foi envernizado, há de se saber que o material que recebeu o verniz permanece inalterado.

Sendo assim, pode ser que as palavras de alguém sejam muito impressionantes, mas elas não alteram seu coração. O hipócrita, em algum momento, será desmascarado. As pessoas, em geral, têm a tendência de falar mais do que são. Porém, a nossa vida devocional, de oração e meditação na Palavra de Deus, vai nos lembrar de quem realmente somos.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Referências:
– Bíblia do Semeador (NTLH)

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.