Devocional lição 03/ 2º trim 2017, Quarta-feira – Jesus, apóstolo e Sumo Sacerdote da nossa confissão.

Hebreus 3:1
Pelo que, irmãos santos, participantes da vocação celestial, considerai a Jesus Cristo, apóstolo e sumo sacerdote da nossa confissão

Na carta escrita aos hebreus, o autor tinha em vista alcançar três grupos distintos: judeus cristãos convertidos; judeus incrédulos que estavam intelectualmente convencidos do evangelho; e judeus incrédulos que foram atraídos pelo evangelho e pela pessoa de Jesus Cristo, mas que não tinham chegado a uma convicção definitiva acerca dele. Porém seu alvo principal eram os convertidos que sofriam perseguições e eram rejeitados por parte de seus irmãos judeus.

Abraão, Isaque, Jacó e Moisés são os nomes mais reverenciados pelos judeus. Entre eles, Moisés é, sem dúvida, o mais reverenciado, pois todo o sistema religioso judaico desenvolveu-se por meio de Moisés, não tem como, no meio judaico, voltar-se às leis sem lembrar de Moisés. O que o autor aos hebreus quer ensinar é a superioridade de Jesus em relação a todos os patriarcas.
O autor aos hebreus começa esse capítulo falando exclusivamente aos convertidos, a designação “irmãos santos” não é dada a quem não participa da família de Deus, essa designação faz referência, somente, e tão somente, aqueles que foram separados pela graça de Deus para ser a família de Deus. “Participantes da vocação celestial”, diz respeito as pessoas que estão integradas a Igreja, o corpo de Cristo, não se refere aos crentes nominais, mas aqueles que participam ativamente da obra evangelística, que é a missão da igreja. Agora, o autor convoca os crentes a olharem para Jesus, não simplesmente como um “profeta de Deus”, ou como um “vaso abençoado”, ou como um “varão de Deus”, ele pede para fazer uma consideração, um exame profundo de quem Ele é e do que Ele fez e ainda faz em nossos dias. Ninguém chega a um completo conhecimento de Jesus, olhando para Ele só de relance. A exortação para “considerar” significa que, aqueles que assim procedem devem “entender plenamente”.

Jesus Cristo não é apenas Apóstolo, mas também Sumo Sacerdote. Moisés foi um profeta que, em algumas ocasiões, serviu como sacerdote, mas nunca foi sumo sacerdote. Esse título pertencia a seu irmão, Arão. Aliás, Jesus Cristo é chamado de “grande sumo sacerdote”.
Como Apóstolo, Jesus Cristo representou Deus diante dos homens; como Sumo Sacerdote, hoje ele representa os homens diante de Deus no céu. Por certo, Moisés cumpriu ministérios semelhantes, pois ensinou a Israel a verdade de Deus e orou por Israel, quando se encontrou com Deus no monte. Moisés foi, em primeiro lugar, o profeta da Lei, enquanto Jesus Cristo é Mensageiro da graça de Deus. Moisés ajudou a preparar o caminho para a vinda do Salvador à Terra.

O autor de Hebreus, observa que tanto Moisés quanto Jesus Cristo foram fiéis à obra que receberam de Deus. Moisés não foi sem pecado como Jesus Cristo, mas foi fiel e obedeceu à vontade de Deus. Este ensino era para estimular os cristãos judeus do primeiro século a que permanecessem fiéis a Cristo, mesmo em meio às tribulações pelas quais passavam. E da mesma forma, quando Paulo nos convida a ser seus imitadores como ele é de Cristo, o que ele quer que imitemos é a sua fidelidade para com Jesus e seu Santo Evangelho.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton Figueiredo

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.