Devocional lição 08/ 1ºtrim 2017, Sexta-feira – Deus proíbe o homicídio.

Êxodo 20:13
Não matarás”.

Aquilo que Deus terminantemente proíbe, o homem desesperadamente quer justificar. A lei mosaica abria algumas exceções para matar, tais como: os que praticassem adultério, incesto, estrupo, sexo com animais, desonra aos pais, feitiçaria, idolatria, roubo, blasfêmia do nome de Deus e atentado de morte contra o próximo. 

O nosso Código Penal exclui alguns crimes das penalidades da lei, por serem estes justificáveis, ou seja, aqueles que tais crimes cometeram não são taxados de criminosos, por terem cometidos os delitos em situações especiais, pois de acordo com o artigo 23 do Código Penal: “Não há crime quando o agente pratica o fato”:
I – Em estado de necessidade;
II – Em legítima defesa;
III – Em estrito cumprimento de dever legal ou no exercício de direito.
Bom, para entendermos melhor o significado de cada um, daremos exemplos bem práticos: primeiro, em estado necessidade é quando duas pessoas lutam pela sobrevivência tendo somente a opção de um sobreviver, ou seja, duas pessoa num barco que está afundando e só tem um colete salva-vidas; segundo, em legítima defesa é quando se mata para preservar a própria vida, a honra e os bens de direito, ou seja, um pai mata o ladrão armado dentro de sua casa; e, terceiro, em estrito cumprimento do dever é quando o agente é autorizado pela lei a matar, se encaixa aqui os soldados numa guerra.

Jesus ao abordar o sexto mandamento, em Mateus 5:21, não está revogando a Lei mosaica, pelo contrário, está dando total ênfase a ela, no entanto, o que Ele acrescenta ao sexto mandamento, é que, só praticarão tais coisas aqueles que ainda não tem em si um coração transformado, pois é do coração pecaminoso que brota o homicídio.
O desejo de matar não brota do nada, ele é precedido pelo ódio e ira, e sem a ajuda o Espírito Santo de Deus ninguém poderá controlar isso.  O ensino de Jesus afirma categoricamente que odiar alguém é cometer homicídio no coração e que os sentimentos pecaminosos não servem de desculpa para as ações pecaminosas. O que devemos entender é que, mesmo que não sejamos presos como assassinos, a ira pecaminosa rompe nossa comunhão com Deus e com os irmãos. No entanto, não foram poucos os que se tornaram homicidas por não conseguir controlar seu furor.

A vida pertence a Deus.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.