Tudo deve ser feito para a edificação.

I Coríntios 14: 26
 “Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação”.

O maior problema que a igreja de Corinto enfrentou, na realidade, foi a omissão da liderança em relação à situação que estava vivendo. Notemos que em nenhum momento da carta Paulo faz alguma referência ao pastor, aos presbíteros ou aos profetas, isso porque a situação era, de fato, caótica. Uma anarquia estava instaurada dentro da igreja e cada crente estava agindo como Israel agiu no passado – “Naqueles dias, não havia rei em Israel, porém cada um fazia o que parecia reto aos seus olhos”, ora, como podemos ver, um povo sem governo é um povo anarquista, pois, ainda que tenham alguns que pensam diferente dos líderes, essa diferença não pode entrar na esfera pessoal.

Foi, em vista disso, que começamos nossos comentários falando sobre igreja, porque igreja não é apenas um lugar onde o povo de Deus se ajunta para exporem seus “dotes” espirituais. O “ajuntamento” do povo de Deus numa igreja tem por objetivo revitalizar todos os membros, pois, ainda que recebamos a designação de “membros” do corpo de Cristo, no nosso cotidiano muitas lutas são travadas no campo pessoal e, por causa disso, muitos irmãos chegam aos cultos com “feridas dolorosas”, feridas que precisam de unguento, de bálsamo para aliviar os sintomas. Um membro doente espiritualmente, independente do que tenha sido a causa da enfermidade, tem pouca chance de curar a si mesmo, é necessário que todo o corpo o auxilie nisso.

Embora estejamos apontando para as pessoas que, segundo nosso parecer, já são crentes, todavia, a maioria das pessoas que entram nas igrejas estão em busca de ajuda e, não existe nada mais alentador do que você encontrar alguém que se dispõe a te ajudar com seus problemas. Pessoas que se propõe a abraçar a sua causa incondicionalmente, isso é prova cabal de que estas pessoas entenderam o que é ser igreja. Estas pessoas quando se ajuntam não pensam egoisticamente naquilo que o Senhor Jesus vai fazer exclusivamente para elas, mas, as intenções do seu coração é que toda a igreja seja beneficiada assim como elas foram.

A Palavra, os hinos, os dons espirituais são para edificação da igreja. Aquele que canta, não deve cantar porque o hino lhe traz enorme conforto para a própria alma, antes, os hinos entoados devem produzir na igreja o mesmo efeito em quem está cantando. Da mesma forma, quem prega não deve ministrar a Palavra de Deus como se ela estivesse sendo útil apenas para a igreja, antes ele tem que provar daquilo que esta servindo – “E tu toma para ti de toda comida que se come e ajunta-a para ti; e te será para mantimento, para ti e para eles”.

Por fim, sobre o uso dos dons espirituais nos cultos, a finalidade da carta de Paulo é que os crentes aprendam a usá-los conforme a utilidades deles nos cultos. Há irmãos que pensam que em todo culto ou reunião deve haver as manifestações do Espírito Santo através dos dons e, nós sabemos que nem sempre é assim. Há pessoas que julgam que Deus só fala pelos profetas e através dos dons espirituais. Deus está em todos os detalhes onde o culto está na direção do Espírito.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.