Cristo entregou a sua vida pela suas “ovelhas”.

João 10: 15
Assim como o Pai me conhece a mim, também eu conheço o Pai e dou a minha vida pelas ovelhas.”

Quando Jesus diz que conhece cada uma de suas ovelhas, Ele não está apenas dizendo que sabe quem são elas. O fato dEle conhecer cada um de nós, implica uma comunhão que vai além do conhecimento simplesmente intelectual. O que Jesus está nos dizendo é que, o que interessa a Ele não são os números que nos identificam em nossos documentos, mas são as peculiaridades inerentes de cada indivíduo.

Jesus sabe, sem qualquer sombra de engano ou equívoco, tudo quanto se passa em nosso interior e, isso não apenas no sentido físico, mas também, no espiritual. Ele sonda mente e coração. Nada passa desapercebido diante dEle. Jesus não sabe apenas o volume de sangue que temos em nosso corpo, muito mais que isso, Ele sabe quantos glóbulos brancos e vermelhos circulam em nosso sistema. Jesus não sabe apenas o que estamos fazendo, porém, muito antes de darmos início aos nossos atos, Ele já sabia das intenções do nosso coração. Jesus não sabe apenas o que estamos falando, porém, muito antes de começarmos a pronunciar as palavras, Ele já tinha sondado nossa mente e já conhecia as palavras que seriam pronunciadas e com qual propósito seriam ditas.

Jesus nos conhece e, não é pelo de fato de confessarmos a Ele nossas particularidades. Ele nos conhece porque somos obra de Suas mãos. Ele estava lá, no momento em que Deus, o Pai, nos formou do pó da terra, e por isso, conhece profundamente nossa estrutura, sabe das nossas limitações e conhece nossas fraquezas. Conhecendo nossa imperfeição, não nos desprezou; sabendo da nossa ingratidão, não nos abandonou; sentindo na própria pele nossa crueldade, não nos rejeitou, e, mesmo sendo, Seu sacrifício ignorado por alguns, Jesus o fez, e tenho certeza que faria de novo, se fosse necessário.

Jesus nos deu a Sua vida, para que pudéssemos viver a nossa vida de maneira plena. E, nada, indubitavelmente nada, pode ser motivo ou justificativa para atentarmos contra a nossa, ou a vida alheia. O sacrifício de Cristo não é garantia de vida tranquila e folgada neste mundo, é garantia de vida eterna. Este é o consolo que temos, pois não importa o que as agruras desta vida podem nos proporcionar, que sejam elas decepções; que sejam tristezas; que sejam desilusões; que sejam injustiças; que sejam enfermidades; que sejam perseguições; que sejam solidão ou desprezo; ou, que seja o infortúnio econômico e sejamos forçados a viver de forma miserável neste mundo. Jesus já venceu todas essas coisas por nós. Devemos ter sempre em mente que nada disso pode se opor ao nosso objetivo de ir morar no céu.

Contudo, para que uma comunhão possa ser sólida não basta ser apenas conhecido pelo nosso Pastor, devemos conhecê-Lo tanto quanto Ele nos conhece. Devemos estar cientes de que ao sermos inseridos no rebanho do Bom Pastor, a nossa vida está sob Seus infindáveis cuidados e que, Ele proverá tudo o que necessitarmos. Lancemos sobre Ele as nossas ansiedades, pois Ele, certamente tem cuidado e continuará cuidando de nós.

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Erivelton

Cristão Evangélico; Obreiro do Senhor Jesus Cristo, pela misericórdia de Deus; Professor da EBD; Capelão; Estudante persistente da Palavra de Deus; Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Min. Boas Novas em Guarapari-ES. Casado com a Inês; pai do Hugo, do Lucas e da Milena.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.