O homem é um ser livre.

Josué 24: 15
 “Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao Senhor, escolhei hoje a quem sirvais: se os deuses a quem serviram vossos pais, que estavam dalém do rio, ou os deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor”.

Até que ponto somos livres? Ou expressando melhor, até que ponto o ser humano possui o livre-arbítrio? Pelo significado literal do termo o ser humano não o possui, pois o termo significa agir sem ser impelido ou motivado. E isso se explica pelo simples fato de que a vontade do ser humano não age por si mesma, ela reage ao ser impulsionada. Por exemplo: a vontade de beber água se dá pelo fato do organismo reclamar a falta dela; a vontade de comer da mesma forma; a vontade de descansar se dá pelo esgotamento físico do corpo; enfim, a vontade é consequência de uma necessidade.

Ao criar  homem à Sua imagem e semelhança, o Senhor nos dotou de livre escolha. Não somos autômatos que reagem ao comando de Deus. O Senhor dotou todos os seres humanos com esta capacidade, (e, diga-se de passagem, somos as únicas criaturas com essa capacidade) a de ter o direito de escolher o que quiser. Isso já está implicitamente declarado no Éden – Adão e Eva tinham a plena liberdade de escolherem obedecer ou não. Dizer que o ser humano não possui livre-arbítrio é o mesmo que dizer que Deus mentiu ao declarar que criou o homem à Sua imagem e semelhança.

Em toda a extensão da Bíblia vemos de forma muito clara e de facílima compreensão que, o homem sempre teve e sempre terá a liberdade de escolha, ainda que seja influenciado e, de fato, essa influência tem que acontecer, pois somente assim é que podemos fazer uma escolha. No Éden, Adão e Eva fizeram uma escolha e no Milênio as pessoas, também, estarão livres para escolher o destino que quiserem. Embora não haja na Bíblia a expressão livre-arbítrio, isso não significa que ela não exista e, muito menos, que não foi concedido ao ser humano.

No versículo chave, Josué está convocando o povo a tomar uma decisão – fazer uma escolha. Ora! Só pode escolher quem tem liberdade para isso. Aquela pessoa que não está livre para escolher, ela age ou reage contra a própria vontade e, é assim que Deus trabalha? Obrigando as pessoas a fazerem aquilo que não querem?

Recapitulando, o livre-arbítrio bíblico não pode ser compreendido a luz da sua literalidade. Nós sabemos que o homem, mesmo com sua liberdade de escolha, não faz por si mesmo a opção de se achegar a Deus. Porém, nosso Deus, por sua infinita misericórdia, dotou todos os seres humanos com uma medida da Sua Graça para que ninguém se escusasse dizendo que não recebeu a oportunidade de escolher – “Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens”. Desta forma, todo e qualquer ser humano, tem a liberdade de aceitar ou rejeitar a Deus.

Erivelton Figueiredo

Deus te abençoe.
Graça e Paz.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.